MULHERES

Aguinaldo Silva defende Zé Mayer: 'Todos cometem erro na vida'

Sobre o boicote de colegas da Globo, Aguinaldo Silva disse que "não faltam" atrizes que contracenariam com Zé Mayer. 

24/11/2017 20:56 -02 | Atualizado 25/11/2017 12:44 -02
Montagem/Reprodução/Facebook
Zé Mayer continua na geladeira da TV Globo desde março deste ano, quando foi acusado publicamente pela figurinista da Rede Globo Su Tonani de assédio sexual.

O autor de famosas novelas da TV Globo, Aguinaldo Silva, defendeu o perdão ao ator José Mayer e sua volta aos estúdios da emissora. "Força Zé", disse o Silva. "Todos cometem erros na vida".

Zé Mayer continua na geladeira da TV Globo desde março deste ano, quando foi acusado publicamente pela figurinista da Rede Globo Su Tonani de assédio sexual. Na época, Su publicou seu relato no jornal Folha de S.Paulo, no blog #AgoraÉQueSãoElas.

A figurinista ganhou apoio de muitos brasileiros e das próprias atrizes da Globo. Com a repercussão, a emissora decidiu não escalar Mayer para a próxima novela das nove, que seria de Aguinaldo Silva, até então prevista para ir ao ar no início de 2018. "Essa é uma atitude isenta e responsável da Globo de não dar visibilidade a uma das partes envolvidas numa questão que é visceralmente contra tudo que a Globo acredita", afirmou a Globo em março.

Na tarde de hoje (24), Aguinaldo Silva voltou a falar sobre o assunto e se solidarizou com a situação do ator. "Faço por valer o significado da palavra 'amigo': jamais vou te esquecer e ninguém vai me calar!", disparou na legenda da imagem que se lê: "Força Zé! Todos cometem erros na vida... E não será um bando de oportunistas que vai apagar a sua estrela!"

Nos comentários, o autor defendeu a volta de Zé Mayer aos estúdios Globo. "Não se pode negar o direito ao trabalho!", escreveu.

Reprodução/Facebook

Reprodução/Facebook

O retorno de Mayer às telas é incerta. No início do mês, a coluna de Ricardo Feltrin do Uol afirmou que o ator poderia voltar aos estúdios, mas enfrentava resistência de colegas de profissão. Algumas atrizes do "primeiro escalão", inclusive, teriam dito que não estavam dispostas a contracenar com Mayer em curto ou médio prazo.

Sobre o boicote, Aguinaldo Silva disse que "não faltam" atrizes que contracenariam com Zé Mayer.

Reprodução/Facebook

O autor é responsável pela novela das nove que agora deve estrear só no segundo semestre de 2018. Ainda sem título, a trama deve contar com a personagem de Renata Sorrah, a memorável Nazaré Tedesco, vilã de Senhora do Destino.

Questionado sobre a possibilidade de trabalhar com Mayer em uma entrevista à revista Época, o autor disse: "sempre, é um grande ator. Todos foram muito duros com ele. E o fato de a moça ter se recusado a prosseguir legalmente com a história é uma coisa muito cruel da parte dela. Com isso, a história se encerra no que ela falou."

Caso Zé Mayer

O relato da figurinista Su Tonani viralizou nas redes no final de março e gerou comoção nacional, inclusive entre atrizes globais, que lançaram as hashtags #MexeuComUmaMexeuComTodas #ChegaDeAssédio em apoio à figurinista.

No texto, Su expõe as situações constrangedoras com o ator, que começaram com elogios e foram evoluindo para frases como "fico olhando sua bundinha e imaginando seu peitinho". "Sim, ele colocou a mão na minha buceta e ainda disse que esse era seu desejo antigo", escreveu a figurinista.

O ator se desculpou publicamente pelo assédio e concordou em começar um tratamento terapêutico. A pressão foi grande e o Zé Mayer pediu desculpas públicas por suas atitudes. Em uma carta aberta, o ator admitiu que errou e pediu desculpas.

"Aprendi nos últimos dias o que levei 60 anos sem aprender. O mundo mudou. E isso é bom. Eu preciso e quero mudar junto com ele. Este é o meu exercício. Este é o meu compromisso. Isso é o que eu aprendi."

Na época, o colunista Léo Dias revelou no jornal O Dia que Tonani e Mayer teriam tido um relacionamento extraconjugal no passado e que a figurinista já estaria envolvida com outra pessoa quando o ator teria a assediado. As novas informações geraram diversas acusações e críticas de internautas que desmereceram a denúncia de Su Tonani.

Mas, como elucidou a revista Veja, um caso do passado, seja ele qual for, não anula as acusações da figurinista, uma vez que assédio sexual é crime previsto na Lei Maria da Penha. "Ninguém está livre para tocar ou fazer insinuações a qualquer mulher por já ter tido, no passado, qualquer envolvimento com ela. Para a cacofonia da internet, porém, esta não parece uma obviedade", ressaltou o texto.