NOTÍCIAS

Estudante de Medicina e lutador de MMA são presos acusados de matar moradora de rua no Rio de Janeiro

Fernanda Rodrigues era muito querida no bairro de Copacabana, onde passava a maior parte do tempo.

15/11/2017 18:51 -02 | Atualizado 15/11/2017 18:51 -02
Montagem/Divulgação/Polícia Civil RJ
Rodrigo Gomes Rodrigues (esq.) e Claudio José Santos são acusados de matar Fernanda Rodrigues dos Santos.

Após quase um mês de investigações, a Polícia Civil do Rio de Janeiro acredita que elucidou o assassinato da moradora de rua Fernanda Rodrigues dos Santos, de 40 anos. Ela foi assassinada com um tiro no peito enquanto dormia sob uma marquise na Avenida Nossa Senhora de Copacabana, na zona sul da capital fluminense.

Nesta terça-feira (14), policiais da Delegacia de Homicídios da capital prenderam o estudante de Medicina Rodrigo Gomes Rodrigues, de 28 anos, e o lutador profissional de MMA Cláudio José Santos, de 42. Os dois são acusados pelo homicídio.

Os agentes descobriram também uma quantidade significativa de drogas na casa de Cláudio José, em Copacabana, incluindo 142 gramas de cocaína, 96 gramas de crack, dez gramas de maconha e uma balança de precisão. Ele também será indiciado por tráfico de drogas.

Rodrigo Gomes está cursando o 10º semestre de Medicina.

De acordo com a polícia, Fernanda Rodrigues era "uma pessoa carismática e muito adorada" em Copacabana. Vivia há quatro anos na localidade, sempre dormindo por ali. E costumava passear pelas ruas carregando várias sacolas com seus objetos pessoais.

O presidente da comissão de população em situação de rua da Câmara Municipal do Rio, vereador Reimont Luiz (PT), afirmou que justiça começa a ser feita com a prisão dos suspeitos.

"Tudo indica que este é mais um crime de ódio, um ataque intolerável aos mais empobrecidos", lamentou em post no Facebook. "Que a punição rápida e justa dos assassinos sirva de exemplo para coibir a intolerância, para que a morte da Fernanda tenha algum significado de mudança em nossa sociedade."

A motivação do crime não foi divulgada pela polícia. A defesa dos suspeitos ainda não se manifestou.

No próximo sábado (18), haverá um ato em memória à Fernanda na Praça do Lido, próximo ao local onde ela viveu nos últimos anos.

Violência no Rio de Janeiro 2017