ENTRETENIMENTO

'Pitacos da Semana': A seleção de leituras que marcou a redação do HuffPost Brasil

A redação do HuffPost Brasil resolveu dividir uns "pitacos" sobre textos salvos ao longo da semana que passou.

10/11/2017 18:26 -02 | Atualizado 10/11/2017 18:26 -02
Arte/HuffPost Brasil/Agência Pública
O rio Xingu é uma das travessias abordadas no especial da Agência Pública sobre a resistência indígena na Amazônia.

Não raro quem trabalha com internet possui uma aba de "favoritos" com milhares de links para ler depois (para os mais ~virginianos~, este dispositivo vai te ajudar a organizar os links salvos).

Mas uma das melhores coisas dessa "avalanche de informações" é poder ampliar e compartilhar referências.

Pensando nisso, a redação do HuffPost Brasil resolveu dividir uns "pitacos" sobre links salvos ao longo da semana. Comida, cultura, comportamento, virais, livros, filmes, discussões e, é claro, do bom e velho jornalismo. Um pouco de tudo do que a gente mais gosta.

Por meio de alguns links selecionados por cada repórter da redação, nossos leitores poderão ficar atentos às leituras que marcaram a semana.

Aqui estão:​​​​​

Aline Valek joa a real: As armas da criatividade não vão trabalhar sozinhas. Em um texto curto, a escritora dá um empurrãozinho para quem quer dominar a arte da criatividade.

"Você gosta de Titãs?" O que poderia ter de errado nessa frase? Na onda #DateRuim, este texto aqui destrincha em mais 280 caracteres a história de um date com um embuste.

Já parou para pensar como os posts do Facebook são moderados? A rotina do brasileiro que apertava o botão 'excluir' da maior rede social do mundo é descrita nesta matéria da BBC.

Podemos até ser todos pedestres, mas homens e mulheres caminham de maneira diferente pelas cidades. O motivo está aqui.

Quem vigia os vigias? E por que o Facebook e o Twitter não são confiáveis para se vigiar. (O texto em inglês.)

Uma entrevista corajosa com a socióloga que provocou um debate sobre mães que se arrependem de ter filho.

"Ninguém deve se sacrificar pelos outros, nem pedir que se sacrifiquem por você." Por trás dessa frase está uma personagem inusitada. Esta reportagem conta a história de Ayn Rand - a escritora que fugiu do comunismo na Rússia e hoje faz a cabeça da direita.

Estamos viciados (tardiamente) no livro O ano em que eu disse sim, da Shonda Rhymes. É interessante ver como uma estrela como ela criou coragem para enfrentar os desafios da vida. Aqui um incentivo para iniciar a leitura e ser um pouquinho de Shonda na vida. (O texto está em inglês.)

E para ler com calma tem esse especialzão da Agência Pública sobre a resistência indígena em vários pontos da Amazônia. A produção de reportagens é contínua e vai até maio de 2018.

via GIPHY

18 livros para entender mais sobre feminismo e direitos das mulheres