ENTRETENIMENTO

'Todo o Dinheiro do Mundo': Diretor substitui Kevin Spacey em filme já finalizado

Filme baseado em uma história real deve estrear nos EUA no dia 22 de dezembro.

09/11/2017 11:03 -02 | Atualizado 09/11/2017 11:18 -02

Em decisão conjunta, o diretor Ridley Scott e a Sony retiraram Kevin Spacey do filme Todo o Dinheiro do Mundo. Detalhe: o filme já estava concluído e o trailer divulgado.

Quase irreconhecível sob camadas de maquiagem, o ator interpretava o magnata Jean Paul Getty no longa. Agora será substituído pelo veterano Christopher Plummer.

Reprodução/YouTube
Sob camadas de maquiagem, ator interpretava o milionário Jean Paul Getty.

De acordo com a Variety, as refilmagens das cenas de Spacey vão começar imediatamente, uma vez que a data de lançamento do filme não foi alterada.

Todo o Dinheiro do Mundo deve chegar às salas americanas no dia 22 de dezembro. Ainda não há previsão de estreia do longa no Brasil.

Baseado em fatos reais, o filme conta a historia do sequestro de John Paul Getty III (Charlie Plummer), herdeiro de um empresário do petróleo, que ocorreu nos anos 1970. Apesar de rico, o patriarca (que seria interpretado por Kevin Spacey) se recusou a pagar o valor de resgate exigido pelos bandidos.

Veja no player abaixo o trailer que a Sony havia divulgado:

Mark Wahlberg e Michelle Williams, que também atuam no longa, devem participar do processo de refilmagens.

Segundo a Variety, a Sony planejava fazer uma campanha para a indicação de Spacey a uma estatueta do Oscar por conta de seu trabalho no filme. No entanto, as recentes acusações de assédio sexual contra o ator fizeram o estúdio abandonar esse plano.

Declínio do astro

Vencedor do Oscar por Beleza Americana e Os Suspeitos, Spacey tem visto sua sua carreira ruir desde o último dia 30 de outubro, quando o BuzzFeed News publicou a denúncia do ator Anthony Rapp de que Spacey o assediou sexualmente quando ele tinha apenas 14 anos. Na época, o ator hollywoodiano tinha 26.

Em menos de uma semana vieram à tona outras acusações de assédio contra o ator. A gota d'água para a gigante do streaming foi a reportagem da CNN com o relato de oito pessoas que trabalham em House of Cards. Elas classificaram de "predatório" o comportamento de Spacey e acusaram o ator de abusos rotineiros que tornavam "tóxico" o ambiente do set.

Num primeiro momento, a Netflix havia decidido cancelar a série na sua próxima temporada. Depois, suspendeu por tempo indeterminado as gravações.

Na última sexta (3), a Netflix decidiu que não quer ter mais qualquer tipo de envolvimento com a série que inclua o astro de 58 anos.

Assim que a primeira denúncia foi publicada, ele pediu desculpas, disse que não se recordava do ocorrido porque estava embriagado na ocasião e aproveitou para sair do armário.

A maneira que Spacey encontrou de usar a sexualidade para tirar foco do assédio gerou reações bastante negativas.

O ator informa que agora está em busca de tratamento.

"Kevin Spacey está tomando o tempo necessário para buscar avaliação e tratamento. Nenhuma outra informação será fornecida neste momento", disse uma nota enviada pela assessoria do ator na quinta-feira (2) ao The Hollywood Reporter.

Os 25 melhores filmes dos últimos 25 anos segundo o IMDB