POLÍTICA

Bolsonaro quer comentarista de SC que atacou pessoas com depressão na disputa pelo Senado em 2018

O presidenciável também sondou o apresentador José Luiz Datena para concorrer ao governo de São Paulo.

07/11/2017 21:39 -02 | Atualizado 07/11/2017 21:39 -02
Montagem/Câmara/Reprodução
Bolsonaro e Luiz Carlos Prates são conhecidos pelos comentários polêmicos.

A campanha do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) não se restringe só à Presidência da República. Em segundo lugar nas pesquisas eleitorais, Bolsonaro tem procurado personalidades para concorrer em cargos regionais. Um exemplo é o jornalista Luiz Carlos Prates que, segundo o Diário Catarinense, foi sondado para disputar o cargo de senador por Santa Catarina.

No estado, Bolsonaro é líder nas pesquisas de intenção de votos. Prates é conhecido pelo posicionamento polêmico, assim como o deputado. Em abril de 2015, ele afirmou que pessoas que sofrem de depressão são "covardes existenciais".

"Ele não tem que ser chorado. Ele tem que ser execrado. E que o demônio o receba de braços abertos. (...) O depressivo não tem que ser acarinhado, ele tem que ser duramente tocado nas suas verdades, porque ele é um covarde existencial. Nada de pena, mas até de desprezo, se for o caso", disse na época.

Ao saber do comentário, a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), considerou as declarações do jornalista "desrespeitosas e irresponsáveis" e o Conselho Federal de Psicologia também se manifestou sobre o incidente, classificando a fala de Prates como "irresponsável" e exigindo retratação

Outro apresentador que teria sido sondado pelo deputado para disputar as eleições em 2018 foi José Luiz Datena. Segundo o Estadão, ele foi procurado para concorrer ao governo de São Paulo. Em 2015, Datena chegou a ser cotado pelo PP para participar pela corrida pela Prefeitura de São Paulo.

Bolsonaro não leu a Declaração Universal de Direitos Humanos