POLÍTICA

PC do B escolhe Manuela D’Ávila para concorrer à Presidência em 2018

É a primeira vez que o partido lança um candidato para disputar o Palácio do Planalto.

05/11/2017 17:18 -02 | Atualizado 05/11/2017 19:23 -02
Reprodução/Facebook
Manuela é deputada estadual no Rio Grande do Sul.

O PC do B lança pela primeira vez um candidato à Presidência da República. O nome, anunciado neste domingo (5), para a disputa pelo comando do Executivo do País foi da deputada estadual Manuela D'Ávila.

Em nota, o partido destaca que a pré-candidatura tem foco em pontos como: a retomada do crescimento econômico e da industrialização; a defesa e ampliação dos direitos do povo; a reforma do Estado, de forma a torna-lo mais democrático e capaz de induzir o desenvolvimento com distribuição de renda e valorização do trabalho.

Na nota, o partido alfineta a atual gestão do País ao dizer que os direitos do povo têm sido atacados pelo governo atual.

Em março deste ano, a deputada , que é mãe, fez um desabafo sobre a dificuldade que é ser mulher na política.

"[...] Percebi que há doze anos eu era submetida a processos de votação noturnos – e que iso era sexismo. Meus colegas, homens, não têm majoritariamente, nenhuma responsabilidade no ambiente privado, familiar, doméstico. A rotina no plenário dos parlamentos não acompanha a rotina de horários da família, pois aos homens não cabem responsabilidades corriqueiras como buscar os filhos na escola, por exemplo."

Ela também destacou que os espaços de poder não são abertos para as mães.

"À maternidade, tão "endeusada" pela sociedade, é reservado o espaço privado. A casa, a sala de amamentação. Percebi que o espaço público, sobretudo os espaços de poder, não tem espaço para nós. Por isso mesmo decidimos ficar. Eu e Laura. Para mostrar que lugar de mulher é em todo lugar. E qualquer lugar pode ser de qualquer mulher. Inclusive, das que decidem ser mães."

Leia a íntegra da nota do PC do B

1. O Partido Comunista do Brasil decidiu na data de hoje lançar a pré-candidatura de Manuela d'Ávila à presidência da República.

2. Trata-se de uma pré-candidatura que tem como algumas de suas linhas programáticas mais gerais a retomada do crescimento econômico e da industrialização; a defesa e ampliação dos direitos do povo, tão atacados pelo atual governo; a reforma do Estado, de forma a torna-lo mais democrático e capaz de induzir o desenvolvimento com distribuição de renda e valorização do trabalho.

3. Manuela d'Ávila é jornalista, tem 36 anos e é deputada estadual desde 2014, a mais votada naquele pleito. Cumpriu dois mandatos como deputada federal, tendo sido, nas duas ocasiões, a mais votada do Rio do Grande do Sul. Em 2010, teve mais de 400 mil votos, o que representou 8,06% dos sufrágios. Foi líder do PCdoB na Câmara dos Deputados, indicada três vezes pelo DIAP como uma das 100 "Cabeças" do Congresso e cinco vezes ao Prêmio Congresso em Foco, que premia os melhores parlamentares do Brasil. Na Câmara Federal, Manuela foi autora da Lei do Estágio e relatora do Vale-Cultura e do Estatuto da Juventude, presidiu a Comissão de Direitos Humanos e foi coordenadora da bancada gaúcha.

4. Será convocada uma entrevista coletiva com a deputada Manuela d'Ávila e a presidenta do PCdoB, Luciana Santos, na qual mais detalhes serão oferecidos à imprensa.

São Paulo, 5 de novembro de 2017

Luciana Santos

Presidenta Nacional do PCdoB

18 livros para entender mais sobre feminismo e direitos das mulheres