MULHERES

Atrizes da Globo se juntam para boicotar volta de Zé Mayer à TV, diz coluna

Segundo coluna do Uol, ator acusado de assediar figurinista se preparava para voltar a atuar já no primeiro semestre de 2018.

04/11/2017 19:06 -02 | Atualizado 04/11/2017 19:17 -02
Reprodução
Algumas atrizes do "primeiro escalão", inclusive, já disseram não estarem dispostas a contracenar com Mayer em curto ou médio prazo. 

A volta do ator José Mayer às novelas e minisséries da Globo pode demorar mais do que ele esperava. De acordo com a coluna de Ricardo Feltrin no site Uol, deveria voltar à ativa ainda no primeiro semestre de 2018, mas enfrenta resistência de colegas de profissão.

Algumas atrizes do "primeiro escalão", inclusive, já disseram não estarem dispostas a contracenar com Mayer em curto ou médio prazo.

O boicote se deve à acusação de assédio sexual contra o ator. No final de março deste ano, a figurinista da Rede Globo Su Tonani publicou um texto em que alegou ter sofrido assédio de Mayer. O relato foi publicado no jornal Folha de S.Paulo, no blog #AgoraÉQueSãoElas.

No texto, a figurinista expõe as situações constrangedoras com o ator, que começaram com elogios e foram evoluindo para frases como "fico olhando sua bundinha e imaginando seu peitinho". "Sim, ele colocou a mão na minha buceta e ainda disse que esse era seu desejo antigo", escreveu a figurinista.

O ator se desculpou publicamente pelo assédio e concordou em começar um tratamento terapêutico. Segundo a coluna do Uol, a Globo já teria "perdoado" o ator e ele se preparava para voltar ao trabalho já nos primeiros meses do ano que vem.

Contudo, um movimento liderado pelas atrizes da emissora defende o afastamento de Mayer por mais tempo, ou até mesmo, pra sempre.

Ainda de acordo com a coluna, atrizes foram sondadas nos últimos meses sobre a possibilidade de contracenar com Mayer, mas elas continuam declinando a proposta. Elas querem que o ator continue na "geladeira."

Caso Zé Mayer

O relato da figurinista Su Tonani viralizou nas redes no final de março e gerou comoção nacional, inclusive entre atrizes globais, que lançaram as hashtags #MexeuComUmaMexeuComTodas #ChegaDeAssédio em apoio à figurinista.

A pressão foi grande e o Zé Mayer pediu desculpas públicas por suas atitudes. Em uma carta aberta, o ator admitiu que errou e pediu desculpas.

"Aprendi nos últimos dias o que levei 60 anos sem aprender. O mundo mudou. E isso é bom. Eu preciso e quero mudar junto com ele. Este é o meu exercício. Este é o meu compromisso. Isso é o que eu aprendi."

Na época, o colunista Léo Dias revelou no jornal O Dia que Tonani e Mayer teriam tido um relacionamento extraconjugal no passado e que a figurinista já estaria envolvida com outra pessoa quando o ator teria a assediado. As novas informações geraram diversas acusações e críticas de internautas que desmereceram a denúncia de Su Tonani.

Mas, como elucidou a revista Veja, um caso do passado, seja ele qual for, não anula as acusações da figurinista, uma vez que assédio sexual é crime previsto na Lei Maria da Penha. "Ninguém está livre para tocar ou fazer insinuações a qualquer mulher por já ter tido, no passado, qualquer envolvimento com ela. Para a cacofonia da internet, porém, esta não parece uma obviedade", ressaltou o texto.

O caso de assédio de Zé Mayer