ENTRETENIMENTO

O 'brilhantismo' de Caetano fez uma juíza de SP proibir show em São Bernardo do Campo

Decisão estabelece multa de R$ 500 mil caso não seja cumprida a decisão.

30/10/2017 19:58 -02 | Atualizado 30/10/2017 23:00 -02
LatinContent/Getty Images
Caetano Veloso em show da turnê 'Caetano apresenta Teresa' no Espaço das Américas, em novembro de 2016.

O "brilhantismo" de Caetano Veloso fez uma juíza de São Paulo proibir, nesta segunda-feira (30), a realização de um show do artista no evento Povo Sem Medo, do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), em São Bernardo do Campo. Caetano se apresentaria gratuitamente hoje às 19h, em solidariedade às cerca de 7.000 famílias que ocupam um terreno no Jardim Planalto há 45 dias.

A decisão para barrar o show é da juíza Ida Inês Del Cid, da 2ª Vara da Fazenda Pública de São Bernardo do Campo. Ela estabelece uma multa de R$ 500 mil caso não seja cumprida a decisão. No texto, ela diz que "trata-se de ação civil pública, onde o Ministério Público pede tutela provisória de urgência, para não realização de show artístico, que seria realizado em local que foi ocupado, e que está sub judice referida ocupação".

A magistrada ainda considera que, "o local não possui estrutura a suportar show, mormente para artistas da envergadura de Caetano Veloso, um dos requeridos nesta ação".

E completa:

Seu brilhantismo (de Caetano) atrairá muitas pessoas para o local, o que certamente colocaria em risco estas mesmas, porque, como ressaltado, não há estrutura para shows, ainda mais, de artista tão querido pelo público, por interpretar canções lindíssimas, com voz inigualável.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o Ministério Público alegou ausência de estrutura mínima para o evento e argumenta que a ocupação reúne idosos, crianças e que o terreno tem alta concentração de materiais inflamáveis; ainda, possui entrada e saída única, o que pode prejudicar a circulação de serviços de emergência de saúde, por exemplo.

Após a decisão, a mulher e empresária de Caetano Veloso, Paula Lavigne, seguiu para a sede da prefeitura da cidade para tentar a liberação dos equipamentos para a realização do show.

Segundo o G1, Lavigne estava acompanhada das atrizes Letícia Sabatela, Alinne Moraes, Sônia Braga e a da cineasta Marina Person.

Em nota divulgada à imprensa, a Prefeitura de São Bernardo do Campo informou que tomará medidas para o cumprimento da ordem judicial que vetou a realização do show, "solicitando apoio da Polícia Militar" e alega que "o cantor Caetano Veloso poderá realizar o evento no município quando desejar, desde que cumpra a legislação municipal".

No Twitter, personalidades da política brasileira se manifestaram de forma crítica à decisão:

Por volta das 18h30, Caetano chegou ao local em que o show seria realizado. Segundo o G1, Paula Lavigne disse que a apresentação será remarcada "nem que o pessoal da ocupação vá para outro local para ver o show".

Desde o fim de agosto deste ano, cerca de 7 mil famílias ocupam o terreno em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. Segundo o MTST, o terreno "está sem uso há 40 anos, com mais de R$ 500 mil de dívida de IPTU, descumprindo todas as leis sobre direito à propriedade e a Constituição".

20 momentos em que a música inspirou a política