NOTÍCIAS

O 'povoado' espanhol que chamou a atenção do New York Times por sua 'anomalia geográfica'

E em plena crise catalã.

27/10/2017 15:54 -02 | Atualizado 28/10/2017 12:34 -02
Wikipédia
Llivia é um município espanhol cercado por território francês.

O jornal americano The New York Times publicou, na terça-feira (24), uma reportagem sobre Llivia, uma cidadezinha de 1500 habitantes na província de Girona que está rodeada por território francês como resultado do Tratado dos Pirineus, de 1659.

A jornalista Laure Fourquet afirma que, em Llivia, o ambiente durante o referendo de independência de 1º de outubro foi festivo, diferentemente de outras partes da Catalunha onde a polícia reagiu com força.

A repórter assegura que Llivia tomou há séculos "uma parte importante da decisão" de ser ou não parte da Espanha. "Já está fisicamente separada da Espanha: o município é uma anomalia geográfica resultante do Tratado dos Pirineus de 1659, que resolveu uma série de enfrentamentos de mais de duas décadas entre Espanha e França", afirma no artigo.

A reportagem afirma que só os povoados deveriam ser cedidos à coroa francesa. Mas Llivia era considerada uma cidade, então permaneceu como parte da Espanha e da região da Catalunha.

'Certas vantagens táticas'

O New York Times afirma que "estar rodeada pelo território francês deu ao município certas vantagens táticas" no 1º de outubro. Diz, por exemplo, que no dia do referendo, "quando se produziu uma misteriosa queda da internet dentro do enclave", o prefeito decidiu usar a conexão de internet francesa para que a votação pudesse continuar.

"Dada sua posição incomum, os residentes de Llivia mantiveram durante muito tempo um forte sentimento de independência", diz o jornal. Ele afirma, ainda, que não é estranho que o apoio à independência da Espanha seja muito forte ali, "embora não esteja claro o que isto realmente significará".

"No dia do referendo, Llivia votou esmagadoramente a favor da separação da Espanha, segundo funcionários: de 591 votos, 561 foram a favor do sim", diz o New York Times.

*Este texto foi originalmente publicado no El HuffPost e traduzido do espanhol.

Catalunha