MULHERES

Por que esta campanha publicitária com homens nus está sendo considerada sexista

"O problema é na história, não vemos os homens objetificados ou em segundo plano. Que estranho, né?"

15/10/2017 17:31 -02 | Atualizado 15/10/2017 17:35 -02
Reprodução
Em seus novos anúncios, a Suitstudio mostra mulheres totalmente vestidas ao lado de homens completamente nus.

Uma marca de roupas para mulheres agitou o debate das redes sociais nos últimos dias após lançar uma campanha de publicidade controversa. Em seus novos anúncios, a Suitstudio mostra mulheres totalmente vestidas ao lado de homens completamente nus.

A empresa holandesa foi lançada em agosto. Na campanha editorial, homens nus em várias poses diferentes chamam a atenção para as mulheres vestidas em trajes elegantes próximo a eles. Em uma das cenas, uma mulher veste um terno e está sentada em um sofá com os pés apoiados no corpo de um modelo masculino sem qualquer roupa.

In the Buff. It's time to go nude. #SUISTUDIO #NOTDRESSINGMEN #womeninbusiness #officewear

A post shared by SUISTUDIO (@suistudio) on

Em outra, a mulher completamente vestida apoia a mão nas nádegas de um homem também sem roupas.

Na descrição da imagem, a marca tem um recado claro: Somos especializados em ternos, mas não vamos vestir nenhum homem.

Afinal, a campanha é ou não é sexista?

A vice-presidente da Suistudio Kristina Barricelli não acredita que a discussão tenha uma resposta tão simples

"O problema é na história, não vemos os homens objetificados ou em segundo plano. Que estranho, né?", disse Barricelli em entrevista ao Hindustan Times. "No momento em que você tira uma imagem e fotografa, ela se torna um objeto. Nós gostamos de homens nus e tenho certeza de que há muitas mulheres que também gostam deles".

Nas redes sociais, muitas pessoas elogiaram a campanha por trazer um olhar incômodo ao papel desempenhado pelos dois gêneros na publicidade.

No Instagram da marca, usuários comentaram a polêmica. Para algumas mulheres, a campanha chama atenção para a desigualdade de gênero nas propagandas.

"Isso aconteceu uma vez e os homens estão repentinamente falando sobre 'sexismo reverso'. No entanto, para as mulheres, isso tem acontecido por ANOS. Ano após ano somos objetificadas em propagandas, assediadas quando andamos na rua, agarradas sem nosso consentimento, violadas e culpabilizadas pelas roupas que usávamos e não tivemos ninguém ao nosso lado para nos proteger porque "você estava pedindo". Essa foto de repente chama atenção dos homens de que há um sexismo. Mas então, o que é o sexismo? Porque o sexismo é mais do que apenas essa foto. E por que, quando nossas mães, irmãs e filhas continuam enfrentando desigualdade e injustiça, muitos homens (nem todos) ficaram em silêncio?", questionou a usuária Natasha Acevedo.

Outras, porém, acreditam que a campanha não trata de uma busca pela igualdade de gênero, mas coloca as mulheres em um papel que se procura combater.

"Eu pensei que queríamos ser iguais aos homens? Não desumanizá-los do jeito que eles nos fizeram? Isso não nos torna tão ruins quanto eles?"

"Precisamos de igualdade e não de reversão. [...] As mulheres poderosas não precisam se sentar como um homem ou se vestir como um homem [...] A idéia não é se vingar [...] Não vejo o feminismo aqui."

Em um comunicado, o CEO da marca, Fokke de Jong, afirmtou que este não era apenas um simples exercício de reversão de papéis.

"Rotular [a mulher Suistudio] como uma 'troca' de gênero coloca muita ênfase em imposições erradas que foram colocadas nos sexos por muito tempo. Ela é poderosa, confiante e orgulhosa de si mesma. E ela também pode ter um homem nu no apartamento dela", argumentou.

E você, o que achou da campanha?

18 livros para entender mais sobre feminismo e direitos das mulheres