NOTÍCIAS

Professora que morreu tentando salvar crianças em Janaúba recebe Ordem do Mérito

A docente de 43 anos morreu após salvar seus alunos de incêndio em creche em Minas Gerais.

09/10/2017 10:51 -03 | Atualizado 09/10/2017 10:57 -03
Reprodução
Ela teve 90% do corpo queimado ao ajudar a salvar seus alunos do incêndio provocado pelo vigia da creche.

A professora Heley Abreu Batista, que morreu ao ajudar no resgate das crianças durante o ataque à creche de Janaúba, em Minas Gerais, recebeu a Ordem Nacional do Mérito, honraria concedida pelo presidente Michel Temer em homenagem ao ato heroico da professora, que não sobreviveu às queimaduras.

De acordo com nota do Palácio do Planalto divulgada no último domingo (8), a Ordem Nacional do Mérito é concedida a pessoas que deram exemplos de dedicação e serviço ao País, o que "é o caso da Professora Heley Batista, que sacrificou sua própria vida para salvar a vida de seus alunos, em um gesto de coragem e de heroísmo que emocionou a todos", concluiu o comunicado.

A docente de 43 anos morreu na noite da última quinta-feira (5). Ela teve 90% do corpo queimado ao ajudar a salvar seus alunos do incêndio provocado pelo vigia da creche, Damião Soares dos Santos na manhã do mesmo dia. Damião, que estava afastado do trabalho desde o mês passado, disse que iria distribuir picolés para as crianças e, dentro da sala de aula, jogou gasolina nele e nas crianças e ateou fogo com um isqueiro.

Além de ajudar as crianças a escaparem do incêndio pela janela (Damião trancou a porta da escola), a professora Heley também teria tentado lutar contra o vigia para impedir que o ataque fizesse mais vítimas. A maior parte das queimaduras que sofreu foi quando ela retirava as crianças da creche, fazendo, inclusive, uma barreira com o próprio corpo.

Nesta segunda-feira (9), um garoto de 5 anos morreu no Hospital João XXIII. Com a morte, o número de vítimas do ataque subiu para 11 -- nove crianças, Damião e a professora Heley.

Ainda há 24 vítimas internadas em hospitais de Janaúba, Montes Claros e Belo Horizonte, algumas ainda estão em estado grave e respiram com ajuda de aparelhos.

Na noite de domingo, duas crianças receberam alta médica. Elas estavam internadas em hospitais de Montes Claros.

Com isso, 23 pessoas que estavam hospitalizadas desde quinta já foram liberadas. As crianças que sofreram o ataque tinham uma média de 4 e 6 anos.

Tragédia em Janaúba