MUNDO

7 coisas que você deveria saber sobre Che Guevara antes de vestir aquela camiseta

Temido por sua brutalidade, conhecido por seus ideais.

09/10/2017 19:03 -03 | Atualizado 09/10/2017 19:09 -03

Nos 50 anos desde sua morte, aquela imagem do rosto mais conhecido da Cuba comunista – Ernesto "Che" Guevara – reivindica um lugar especial nas casas e nos peitos de estudantes e candidatos a revolucionários mundo afora.

A foto marcante do guerrilheiro, usando uma boina adornada por uma estrela, garantiu seu status de lenda como herói popular internacional e símbolo de rebelião, cinquenta anos depois de sua morte.

Keystone-France via Getty Images

A foto foi considerada a mais famosa de todos os tempos pelo Maryland Institute of Art – mas quanto você sabe sobre o revolucionário marxista nela retratado?

Chamem o médico

Guevara se formou em medicina em 1953, deixando a Argentina logo depois. Em uma viagem de moto pela América do Sul com seu amigo de infância Alberto Granado, Guevara trabalhou durante três semanas na colônia de leprosos San Pablo, no Peru. A experiência teria radicalizado Guevara e solidificado sua determinação de uma cruzada contra o que ele considerava a exploração da América Latina por parte dos Estados Unidos. "Se você treme de indignação diante de todas as injustiças, então é meu camarada" – essa é uma de suas frases mais conhecidas.

Rex Features
Guevara pictured with Fidel Castro in 1961

Amigos revolucionários e importantes

Guevara, nascido na Argentina, combateu ao lado de Fidel Castro e o ajudou a criar um governo de partido único em Cuba, depois da revolução de 1959. Ele foi chefe do banco central do país e ministro da indústria nos primeiros anos do governo Fidel. Ele defendeu a nacionalização de empresas privadas e sonhava com uma sociedade sem classes, na qual o dinheiro pudesse ser abolido e os salários fossem desnecessários. Em seu livro A Guerra de Guerrilhas, publicado em 1961, ele escreveu: "O camponês deve sempre receber ajuda técnica, econômica, moral e cultural. O guerrilheiro será uma espécie de anjo-guia que chegou à zona, sempre ajudando os pobres e incomodando os ricos o mínimo possível nas primeiras fases da guerra".

Guevara também era temido por sua brutalidade e inclemência e supervisionou a execução de desertores, informantes e espiões. Em uma entrada fria de seu diário, ele descreve a execução do camponês Eutimio Guerra, por traição: "Disparei uma bala calibre .32 no hemisfério direito de seu cérebro, e ela saiu por sua têmpora esquerda. Ele gemeu por alguns segundos, depois morreu."

FilmFour
2004's The Motorcycle Diaries starred Gael Garcia Bernal as Che Guevara and Rodrigo De la Serna as Alberto Granado 

Em Hollywood

As viagens de Guevara pela América do Sul chegaram às telas em 2004, com o filme Diários de Motocicleta. O filme foi co-produzido por Robert Redford e muito criticado por retratar o revolucionário como um jovem idealista.

Anthony Daniels, crítico contumaz de Guevara, afirmou que o filme glorificou o rebelde. "O filme é o equivalente cinematográfico da camiseta de Che Guevara; é moral e emocionalmente trivial. É como se alguém fizesse um filme sobre Adolf Hitler o retratando como um vegetariano que amava os animais e era contra o desemprego. Seria verdade, mas... fugiria do assunto."

Oswaldo Rivas / Reuters
Produtos com a imagem icônica de Che - considerada pelo Maryland Institute of Art a imagem mais famosa do mundo - continuam populares.

O anticapitalista celebrado pelo capitalismo

Falando em moralmente monstruoso, a imagem icônica foi massivamente reproduzida em camisetas, canecas, bonés, relógios, biquínis e outros produtos da sociedade capitalista odiada por Guevara.

Não esqueçamos do que ele jurou: "Mais uma vez fui capaz de me convencer de como são criminosos os polvos capitalistas. Em uma foto de nosso querido e saudoso camarada Stalin, jurei não descansar enquanto esses polvos capitalistas não forem destruídos".

O poder do dinheiro

Apesar de ter sonhado com uma sociedade em que o dinheiro fosse abolido, até hoje Guevara aparece cortando cana em uma cédula que circula. Ele ainda é um herói nacional no país por promover trabalho voluntário, ajudando na construção de casas e na colheita da cana-de-açúcar.

Claudio Divizia via Getty Images
Guevara on a 3 pesos Cuban banknote 
Claudio Divizia via Getty Images

Uma figura chave

Em Rosário, cidade argentina onde ele nasceu, Guevara é homenageado com uma estátua de bronze de 12 m de altura, construída com 75 000 chaves doadas de todo o mundo e derretidas para a confecção do monumento.

Erguida no 80º aniversário de sua morte, a estátua foi alvo do seguinte comentário do The Wall Street Journal: "Che Guevara finalmente ganha mais que uma reles camiseta".

MCT via Getty Images
The statue of Guevara, unveiled in his hometown of Rosario, Argentina, in 2008 was made from 75,000 melted keys donated by supporters from around the world

Uma morte ignominiosa

Guevara deixou Cuba em 1966 para começar um novo movimento guerrilheiro anti-Estados Unidos na selva do leste da Bolívia, esperando criar "dois, três, muitos Vietnãs" na América Latina. Ele foi capturado por soldados bolivianos apoiados pela CIA e 8 de outubro de 1967 e morto a tiros numa escola no dia seguinte. Seu corpo, cravado de balas e de olhos abertos, foi exposto na lavanderia de um hospital e mais tarde enterrado numa cova sem identificação. Guevara tinha 39 anos. Seus restos mortais foram escavados e colocados num mausoléu em 1997.

STR New / Reuters
Bolivian soldiers with the body of Guevara, as he lay dead on the laundry room sink of Vallegrande hospital, placed there for the public to view 

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost UK e traduzido do inglês.

As revolucionárias que protagonizaram a revolução russa