NOTÍCIAS

Vigia que matou as crianças de Janaúba premeditou crime e tinha transtorno mental

Damião Soares dos Santos foi responsável pelas mortes de cinco crianças e uma professora de Janaúba (MG).

06/10/2017 11:00 -03 | Atualizado 07/10/2017 17:43 -03
Reprodução/Facebook
Damião Soares dos Santos premeditou o crime.

Um dia após a tragédia de Janaúba (MG), todos ainda estamos céticos sobre a conduta do vigia Damião Soares dos Santos. Por que ele decidiu matar crianças? Por que produziu cenas de horror e dor para tanta gente?

A Polícia Civil de Minas Gerais defende que o crime foi premeditado. A data do atentado — 5 de outubro — foi o mesmo dia da morte do pai de Damião há três anos.

Em sua casa, foram encontrados galões com combustível.

O vigilante havia dito para familiares que "daria um presente a todos", com sua morte, em breve.

Ao chegar à creche Gente Inocente, ele se certificou de fechar a porta das salas onde havia crianças.

Todos esses são indícios de como ele arquitetou o atentado.

Como era funcionário da creche, Damião tinha a afeição das crianças. De mochila, ele disse que havia trazido sorvete para comemorar o Dia da Criança. Mas no pote que ele exibiu, havia gasolina.

"Meu filho falou que o homem ofereceu para ele sorvete e quando ele correu para pegar, ele jogou gasolina e fogo", contou ao jornal O Tempo Edivaldo Samuel, pai de um menino atingido pelo vigia.

Quando acendeu o isqueiro, Damião começou a abraçar meninos e meninas. A professora Heley Abreu chegou a lutar corporalmente com ele para impedir que o fogo atingisse mais crianças.

Transtorno mental

Familiares de Damião informaram à polícia que havia "sinais de loucura" nele há no mínimo três anos. O vigia tinha mania de perseguição e achava que seria envenenado pela mãe.

As postagens mais recentes dele no Facebook tratam justamente de envenenamento — por restaurantes e padarias.

Para o delegado regional de Janaúba, Bruno Fernandes Barbosa, o vigilante pode ter tido um surto psicótico.

"Na casa, encontramos redações feitas por ele, falando do Estatuto da Criança e do Adolescente, textos aleatórios sobre infância e um CD com fotos de crianças brincando, tomando sorvete."

Ao menos sete pessoas morreram na tragédia de Janaúba: cinco crianças, a professora Heley e o vigilante.

Tragédia em Janaúba