NOTÍCIAS

O atentado de Janaúba que dilacerou a vida de 7 crianças e 1 professora

Maioria dos mortos são crianças de 4 anos que estavam na creche no município no norte de Minas Gerais.

06/10/2017 01:38 -03 | Atualizado 07/10/2017 14:07 -03
Reprodução/TV Globo
Sala de aula da creche Gente Inocente ficou em chamas.

Quatro anos. Essa é a idade da maioria das vítimas do atentado de Janaúba, no norte de Minas Gerais.

Crianças foram o principal alvo do vigia Damião Soares dos Santos, de 50 anos. Na manhã desta quinta-feira (5), o funcionário da creche Gente Inocente ateou fogo em meninos e meninas de dois a seis anos de idade.

Morreram Renan, Ana Clara, Luiz Davi, Juan Pablo, Juan Miguel, Cecília Davina e Yasmin Medeiros.

A professora Helley Abreu também não resistiu aos ferimentos que atingiram 90% do seu corpo.

O próprio Damião morreu vítima das queimaduras que provocou em si.

Na manhã desta sexta-feira (6), o Corpo de Bombeiros corrigiu o número de vítimas. A menina Cecília, que havia sido dada como morta, sobreviveu.

Mais de 20 pessoas continuam internadas em Janaúba, Montes Claros, cidade a 135 km do local do atentado, e Belo Horizonte. A maioria, crianças.

A cidade de pouco mais de 71 mil habitantes ficou em pânico com o incêndio criminoso:

Repórteres dos jornais mineiros Estado de Minas e O Tempo entraram na creche e mostraram os destroços e as cinzas resultantes do ato criminoso:

"Eu nunca vi uma guerra, mas a situação aqui parece ser igual; é catastrófica", resumiu o prefeito de Janaúba, Carlos Mendes (PSDB).

Funcionário da prefeitura, Damião estava afastado do trabalho desde o mês passado. Ele teria ido à creche entregar o atestado médico. Disse que iria distribuir picolés para os pequenos e se dirigiu à sala de aula, onde jogou gasolina nele próprio. Depois começou a abraçar as crianças e usou um isqueiro.

De acordo com o delegado regional de Janaúba, Bruno Barbosa, Damião tinha mania de perseguição, achava que seria envenenado e pode ter sofrido um surto psicótico antes do ataque às crianças.

Entretanto, a investigação mostra que a princípio o crime foi premeditado.

Foi decretado luto oficial em Janaúba por sete dias.

ATUALIZAÇÃO: A reportagem foi alterada às 15:48 desta sexta-feira (6) para adicionar que assessoria de comunicação do Hospital Santa Casa de Montes Claros confirmou a morte de mais duas crianças, ambas de quatro anos, que estavam internadas em estado grave na instituição: Cecília Davina e Yasmin Medeiros. O número de crianças mortas sobe para 7.

Tragédia em Janaúba

7