POLÍTICA

Lula vence em todos as simulações do Datafolha, mas tem maior rejeição para 2018

Em nova pesquisa do instituto, Lula tem 36%, Bolsonaro, 16%, e Marina, 14% das intenções de voto.

01/10/2017 11:57 -03 | Atualizado 01/10/2017 12:34 -03
Nacho Doce / Reuters
Petista também lidera índice de rejeição em levantamento divulgado neste sábado (30).

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera a disputa pela Presidência da República nas eleições de 2018, segundo nova pesquisa do Datafolha divulgada neste sábado (30). Condenado em primeira instância pelo juiz Sergio Moro por corrupção passiva e lavagem de dinheiro Moro, o petista tem 36% das intenções de voto.

De acordo com o levantamento, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e a ex-senadora Marina Silva (Rede) se mantêm empatados na segunda posição. Bolsonaro oscilou entre 16% e 17%, enquanto Marina variou entre 13% e 14%.

Ambos do PSDB, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o prefeito da capital de paulista, João Doria, somaram 8% das intenções de voto.

Os números correspondem a simulações em que Lula aparece na disputa.

O instituto testou também cenários para um eventual segundo turno. Pela primeira vez, Lula vence todos os adversários – anteriormente, o petista empatava tecnicamente com Marina Silva.

A única exceção ocorre numa disputa do ex-presidente com o juiz Sergio Moro, que afirma desconsiderar uma disputa pela Presidência. O juiz aparece empatado tecnicamente com o petista.

Apesar de aparecer isolado na corrida presidencial, Lula lidera o índice de rejeição entre os possíveis candidatos. Nesse cenário, o ex-presidente aparece com 42%, seguido de Bolsonaro (33%) e Alckmin (31%).

A participação de Lula nas eleições de 2018 ainda não é certa. Ele pode ficar inelegível caso seja condenado em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal no caso do Triplex.

De acordo com a Folha de S. Paulo, o Instituto Datafolha ouviu 2.772 pessoas em 194 cidades entre quarta, 27, e quinta, 28. A margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Momentos históricos da vida de Lula