POLÍTICA

Apenas 3% acham gestão Temer boa ou ótima, diz pesquisa CNI/Ibope

92% dos brasileiros não confiam no presidente.

28/09/2017 10:06 -03 | Atualizado 28/09/2017 10:43 -03
Ueslei Marcelino / Reuters
Maioria da população reprova govenro do presidente Michel Temer, de acordo com pesquisa CNI/Ibope.

Apenas 3% dos brasileiros avalia a gestão do presidente Michel Temer como boa ou ótima, de acordo com pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta quinta-feira (28). Outros 16% consideram regular e 77% ruim ou péssima. 3% não souberam opinar ou não responderam.

Na última sondagem, publicada em julho, após a primeira denúncia contra o peemedebista, 70% consideravam a gestão ruim ou péssima, 21% regular e 5% boa ou ótima. Outros 3% não souberam opinar ou não responderam.

Assim como na última avaliação, o resultado atual é o mais baixo da série histórica, iniciada no governo de José Sarney.

A primeira denúncia, na qual Temer era acusado de corrupção, foi rejeitada pela Câmara dos Deputados em agosto. A Casa analisa uma nova denúncia, por obstrução à Justiça e organização criminosa.

No cenário atual, 89% desaprovam a maneira de governar do presidente, 7% aprovam e 4% não responderam. Antes, 83% desaprovavam, 11% aprovavam e 5% não responderam.

De acordo com a sondagem, 6% confiam em Temer e 92% não confiam. Na pesquisa anterior, 10% confiavam e 87% não confiavam.

Os dados foram coletados entre os dias 15 e 20 de setembro, com 2 mil pessoas em 126 municípios. A sondagem tem dois pontos percentuais de margem de erro para mais ou para menos e grau de confiança de 95%.

O governo de Dilma Rousseff, em março de 2016, teve 10% de ótimo ou bom como avaliação, enquanto 69% julgaram seu segundo mandato como ruim ou péssimo.

Em relação ao governo da petista, 59% acreditam que a gestão Temer está pior, 8% avaliam que está melhor, 31% igual e 2% não souberam ou não responderam.

Na avaliação anterior, 52% acham pior, 11% melhor, 35% igual e 2% não souberam ou não responderam.

Quanto às perspectivas em relação ao restante do governo do peemedebista, 6% consideram ótimo ou bom, 17% regular, 72% ruim ou péssimo e 5% não souberam ou não responderam. Na sondagem anterior, os percentuais eram de 9%, 22%, 65% e 5%, respectivamente.

Na percepção das áreas de atuação, meio ambiente teve queda de aprovação de 21% para 15% e aumento da desaprovação de 70% para 79%. Já educação teve queda na aprovação de 22% para 17% e aumento na desaprovação de 75% para 81%.

Entre as notícias lembradas pela população estão corrupção (23%), Operação Lava Jato (11%), apreensão de R$ 51 milhões em apartamento ligado ao ex-ministro Geddel Vieira Lima (7%), liberação da exploração na Amazônia, junto com desmatamento na região e venda de recursos naturais do Brasil (5%). Em seguida, foi citada a possibilidade de a Procuradoria-Geral da República anular o acordo de delação da JBS (4%).

Na avaliação de Renato Fonseca, gerente-executivo de Pesquisa e Competitividade da CNI, a queda dos dados positivos está na margem de erro, mas do lado negativo há crescimento devido à redução do regular. "Claramente há uma piora na avaliação do presidente quando a gente compara julho com setembro", afirmou.

De acordo com Fonseca, além da crise econômica e do desemprego, os dados sugerem que a discussão sobre exploração dos minérios na Amazônia ajudou a piorar a avaliação do governo. Ele destacou também que, por mais que haja indicadores que mostrem a melhora da economia, a população não está percebendo isso ainda".

Votação da Câmara da denúncia contra Temer