NOTÍCIAS

O desabafo da chef que teve 160kg de alimentos desperdiçados por falta de selo obrigatório

Roberta Sudbrack encerrou sua participação no Rock in Rio após vigilância sanitária proibir comercialização de alimentos artesanais que não tinham carimbo.

16/09/2017 13:12 -03 | Atualizado 16/09/2017 13:38 -03
Reprodução

Roberta Sudbrack é nome conhecido na gastronomia nacional. A chef já foi eleita a melhor cozinheira da América Latina. Ela participaria da área gourmet do festival Rock in Rio. Porém, uma ação da vigilância nacional carioca na última sexta (15) descartou os queijos e as peças da charcuteria que seriam servidos pela cozinheira.

O motivo, de acordo com a própria chef, foi a falta de um "selo, um carimbo" que seria obrigatório para que os alimentos pudessem ser comercializados.

Em suas redes sociais, Sudbrack fez um desabafo sobre a ação da agência sanitária. De acordo com ela, pelo menos 160 quilos de alimentos foram desperdiçados.

"A vigilância sanitária do Rio de Janeiro invadiu o meu estande no Rock in Rio com quase 15 pessoas e decretou que os queijos brasileiros, bem como a charcutaria brasileira da melhor qualidade, meus fornecedores há pelo menos 20 anos, não são bons o bastante para comercialização", escreveu.

A vigilância sanitária do Rio de Janeiro invadiu o meu estande no Rock in Rio com quase 15 pessoas e decretou que os queijos brasileiros, bem como a charcutaria brasileira da melhor qualidade, meus fornecedores há pelo menos 20 anos, não são bons o bastante para comercialização. Sem nenhum bom senso ou razoabilidade, jogaram fora mais de 80kg de queijo dentro da validade, assim como 80kg de linguiça fresca e previamente aprovada pelo controle do evento Rock in Rio. Todos inspecionados pelos órgãos sanitários dos seus Estados. O motivo? Faltava 1 carimbo, um selo, uma coisa qualquer. Estou fechando a minha operação no Rock in Rio porque a minha ética, o meu profissionalismo e as minhas convicções não me permitem ver uma cena dessas. Comida da melhor qualidade sendo jogada fora enquanto tantas pessoas morrem de fome no mundo. O meu prejuízo provavelmente é do tamanho desse mesmo mundo, mas minha dignidade e as minhas crenças são maiores! POR FAVOR COMPARTILHEM! ME AJUDEM A SALVAR A DIGNIDADE DA GASTRONOMIA BRASILEIRA! Mas não compartilhem pouco. Por favor COMPARTILHEM MUITO! Estou entrando com uma liminar na justiça para salvar o restante de toda a mercadoria que temos em estoque para que possamos pelo menos doar a quem precisa. E me comprometo não só a doar, mas preparar essa comida da melhor qualidade e da qual eu me orgulho de servir há mais de 25 anos para quem precisa. Por favor compartilhem! Obrigada 🙌🏼

A post shared by Roberta Sudbrack (@robertasudbrack) on

Os produtos usados por Sudbrack são artesanais e inspecionados pelos órgãos sanitários de seus estados de origem. A chef, ainda, afirmou que irá entrar com uma liminar na justiça para recuperar o restante dos alimentos e prometeu que irá doar a mercadoria que não poderá ser comercializada.

No fim, fez um pedido aos seguidores: "Me ajudem a salvar a dignidade da gastronomia brasileira".

Nas redes sociais, o desabafo de Sudbrack acendeu uma discussão sobre as regras de comercialização dos produtos de pequenos produtores no País.

Ao G1, a vigilância sanitária confirmou a ação no estande de Sudbrack, mas disse que não foi feito o descarte dos produtos, apenas a apreensão.

LEIA MAIS:

- 'Comer é um ato político': Você realmente conhece o que está consumindo?

- 26 vídeos, filmes e documentários para você repensar a sua relação com comida

Comidas resgatadas do lixo