COMPORTAMENTO

Há uma razão científica para você odiar filmes de terror

Não é apenas uma preferência pessoal — é uma necessidade psicológica.

15/09/2017 18:07 -03 | Atualizado 15/09/2017 18:07 -03
YouTube
Algumas pessoas não podem esperar para ver o palhaço Pennywise em “It -- A Coisa”. Outras vão passar longe.

Milhares de pessoas em breve vão correr aos cinemas ou se afundar no sofá para uma sessão ininterrupta de filmes de Halloween, prontas para gritar e se assustar.

Não serei uma delas.

Detesto filmes assustadores. Prefiro passar roupa ou ir ao dentista do que me sentar voluntariamente para um programa que está pensado para me deixar morrendo de medo de ir dormir à noite. Uma vez, as garotas que moravam comigo decidiram assistir "O Iluminado" em uma tarde chuvosa, e me tranquei no banheiro. Se eu tivesse de sair por alguma razão, tinha de perguntar a elas se a cena à qual estava me expondo era relativamente inofensiva.

Acontece que minha aversão aos filmes de terror não é apenas uma preferência pessoal -- é uma necessidade psicológica. Algumas pessoas simplesmente são programadas para reagir diferentemente a esse tipo de conteúdo.

Embora não haja uma única resposta que explique por que algumas pessoas se divertem com filmes de terror e algumas não, existem algumas possíveis explicações. Aqui está uma análise, segundo especialistas e pesquisas sobre o tema:

Pessoas que amam filmes de terror sentem o estresse de forma diferente.

Indivíduos que estão mais em busca de sensações podem gravitar em direção a filmes assustadores por causa da maneira como interpretam a reação do corpo ao estresse, segundo Margee Kerr, socióloga que estuda o medo e autora de Scream: Chilling Adventures in the Science of Fear (Grito: Aventuras Horripilantes na Ciência do Medo, em tradução livre). Um filme que induza ao medo vai disparar o coração da pessoa e fazer o corpo sentir como se precisasse gastar energia.

"Algumas pessoas podem tirar um significado positivo disso ― se sentem realmente vivas em seus corpos, quase como você se sente depois de uma classe de ioga realmente intensa ou algo que concentre toda a atenção em seu corpo", disse Kerr. "Já outras pessoas podem interpretar aquilo quase como um ataque de pânico, onde têm uma sensação de perda de controle sobre o que o corpo está fazendo."

Pessoas que odeiam filmes de terror podem ser altamente sensíveis.

Pessoas altamente sensíveis podem ser facilmente superestimuladas pelo ambiente e também tendem a ser mais empáticas do que um indivíduo normal. Isso significa que podem ter uma reação psicológica diferente ou mais intensa a filmes assustadores ou violentos, dizem especialistas.

Experiências na infância afetam como alguém se sente sobre o medo.

Pessoas que tiveram experiências positivas quando eram jovens, com o que os pesquisadores chamam de "medo divertido" ― uma experiência que assusta, mas não contribui para o medo real ―, já têm um conceito interno que enquadra certas atividades de uma maneira emocionante, diz Kerr.

"Se os pais as expuseram à quantidade ou tipo certo de 'divertimento' quando crianças ― não as levando para ver 'It', por exemplo, antes de terem uma boa ideia de que tipo de monstros são reais ou não as expondo a montanhas-russas muito cedo ―, isso pode impactar se as pessoas gostarão do gênero como um todo ou não", explicou.

Algumas pessoas veem filmes assustadores como uma forma de se conectar com os outros.

Filmes de terror são divertidos para algumas pessoas quando são assistidos com entes queridos.

"Pode ser uma experiência de vínculo social realmente maravilhosa", diz Kerr.

"De fato, sabemos que os vínculos que criamos sob estresse são, muitas vezes, mais intensos, especialmente com pessoas com as quais temos uma associação positiva. Então, se você está indo fazer algo divertido, intenso e assustador com seus amigos, acaba criando memórias mais densas e mais ricas."

Em outras palavras, uma pessoa gostar ou não de assistir a um palhaço assustador na tela de cinema depende de uma confluência de fatores -- sendo que maioria deles está ligeiramente fora de controle.

Então, se precisar de mim, estarei escondida até o Halloween acabar. Não tenho culpa de ser uma gatinha tão assustada.

Os 25 melhores filmes dos últimos 25 anos segundo o IMDB