ENTRETENIMENTO

Zezé Motta. Paulo Lins. E o protagonismo negro que vai agitar o mês de novembro em SP

Ícones da cultura negra no Brasil, escritor e atriz serão festejados na 'FlinkSampa' e 'Troféu Raça Negra'

18/09/2017 11:18 -03 | Atualizado 18/09/2017 11:18 -03

A Faculdade Zumbi dos Palmares e a ONG Afrobras (Sociedade Afro-Brasileira de Desenvolvimento Sóci-Cultural) anunciaram nesta semana a programação da 5ª edição da FlinkSampa (Festa do Conhecimento, Literatura e Cultura Negra), que ocorrerá entre os dias 16 e 18 de novembro no Centro Esportivo Tietê, em São Paulo.

Focada na promoção da literatura e cultura negra no Brasil, a FlinkSampa deste ano terá mesas de debate com escritores do Brasil e do exterior, atividades voltadas para crianças, palestras para jovens empreendedores, além de debates sobre beleza e empoderamento para jovens negras. A programação é inteiramente gratuita.

O patrono deste ano será o escritor carioca Paulo Lins, autor de Cidade de Deus, que foi adaptado para o cinema por Fernando Meirelles, recebendo 4 indicações ao Oscar em 2004.

Getty Images
Autor de 'Cidade de Deus', Paulo Lins será o patrono da FlinkSampa 2017.

"A gente lutou muito para estar aqui. Para o negro conseguir sua cultura dentro da nação, dentro do conceito de um país, foi muita luta, muita guerra, muita morte. E ela continua. É por que eu estou aqui", disse Lins em encontro com jornalistas no Sesc 24 de Maio na última terça-feira (12).

"Quando a gente celebra a cultura, a gente está celebrando a nossa maior luta", completou.

Ao lado dos escritores escritores Eduardo Assis Duarte e Luiz Eduardo Soares, o autor carioca participará de um debate sobre sua obra intitulado Cidade de Deus no Mundo.

A programação literário tem curadoria assinada por Guiomar de Grammont, doutora em Literatura Brasileira pela USP e professora da Universidade Federal de Ouro Preto.

Entre os autores brasileiros que devem integrar a programação de debates estão Conceição Evaristo, Martinho da Vila, Jarid Arraes, Elisa Lucinda, Ferrez, Marcelino Freire e Fernando Bonassi.

Também devem marcar presença no evento o reitor da Universidade Lúrio de Moçambique, Francisco Noa, o escritor e poeta Arménio Vieira (prêmio Camões de Literatura), e José Carlos Fonseca, escritor e presidente do Cabo Verde.

Fonseca lançará seu romance durante o evento e participará do Seminário Internacional Educação Inclusiva no Século 21 – que reunirá discussões em torno de temas como religiosidade, ensino da história e cultura africana e afro-brasileira e cultura indígena.

A programação da FlinkSampa 2017 contará ainda com concursos para jovens autores negros e estudantes. São eles: Prêmio Jovem Negro de Literatura, cujo resultado será publicado em livro, o Festival de Curta-Metragens Afrominuto e o Prêmio Flink de Literatura, realizado em parceria com o Sesi-SP.

Os detalhes de todas as atividades estão disponíveis no site flinksampa.com.br.

Troféu Raça Negra

Divulgação

Ainda em novembro, mês da Consciência Negra, as mesmas entidades responsáveis pela FlinkSampa vão realizar a 15ª edição do Troféu Raça Negra.

Criado em 2000 com o objetivo de celebrar a atuação de uma personalidade negra do Brasil ou do exterior, o prêmio já homenageou personalidades como Elza Soares, Nelson Mandela, Martinho da Vila, Cartola e Arlindo Cruz.

Na cerimônia deste ano, que será realizada para convidados na Sala São Paulo, a grande homenageada será Zezé Motta, ícone negro da cultura brasileira, reconhecida internacionalmente por sua atuação em Xica da Silva, no filme de mesmo nome dirigido por Cacá Diegues em 1976.

Sobre a escolha da artista, Francisca Rodrigues, pró-reitora da Faculdade Zumbi dos Palmares, presidente da Flink Sampa e do Troféu Raça Negra, justificou:

"Ela é referência para uma geração de mulheres negras por tudo que fez e faz, não apenas como atriz, mas como cidadã com a preocupação de lutar por mais inclusão social."

Com mais de 40 filmes no currículo, Zezé Motta também é celebrada no cenário musical, na TV e no teatro. Atualmente ela prepara um musical sobre seus 50 anos de carreira e uma peça de teatro baseada na trajetória da escritora Carolina de Jesus.

Recentemente, a atriz de 73 anos passou a integrar a memória do Museu do Festival de Cinema de Gramado, no Rio Grande do Sul.

"Uma homenagem como essa é um afago para alma", disse Zezé antes de agradecer os organizadores da premiação que, segundo ela, "estão cumprindo com dignidade a missão aqui na Terra".

27 fatos importantes que todos devem saber sobre os Panteras Negras