POLÍTICA

Quadrilhão do PMDB: PF aponta indícios contra Temer, ministros e ex-deputados

Caciques do PMDB são suspeitos de formar uma organização criminosa.

11/09/2017 19:41 -03 | Atualizado 11/09/2017 19:41 -03
Paulo Whitaker / Reuters

Caciques de um dos partidos mais tradicionais do País estariam unidos para praticar crimes.

É essa a suspeita da Polícia Federal sobre um inquérito que investiga a atuação de integrantes do PMDB, incluindo o presidente Michel Temer.

O documento concluído nesta segunda-feira (11) considera que há indícios de crimes cometidos por expoentes como os ministros Moreira Franco, da Secretaria-Geral da Presidência, Eliseu Padilha, da Casa Civil.

Além dos integrantes do governo federal, três ex-deputados que estão presos integravam a organização criminosa: Eduardo Cunha, Geddel Vieira Lima e Henrique Eduardo Alves.

O grupo, conhecido como PMDB da Câmara, é suspeito de se organizar para receber vantagens indevidas. O material da PF foi entregue ao Supremo Tribunal Federal.

A mais grave crise do Governo Temer