ENTRETENIMENTO

13 filmes brasileiros lançados em 2017 que você já deveria ter assistido

O cinema nacional vai muito bem, obrigado.

07/09/2017 15:57 -03 | Atualizado 07/09/2017 16:09 -03

Há quem torça o nariz quando o assunto é cinema brasileiro.

Reclama-se sobre a falta de criatividade dos roteiros e dos protagonistas que parecem ser os mesmos da novela do Globo. Puro preconceito.

Basta um dedo a mais de esforço para notar que a produção nacional tem oferecido obras de fôlego nos últimos naos. Obras que, inclusive, exploram o mais diversos gêneros: da comédia ao drama, passando pelo documentário, suspense e cinebiografia.

Aproveitando a divulgação da lista de filmes que vão disputar uma vaga na corrida do Oscar 2018 de Melhor Filme Estrangeiro, o HuffPost Brasil apresenta a seguir 13 títulos lançados este ano que merecem ser vistos.

Originalidade da narrativa, aval da crítica especializada e força dos protagonistas foram alguns dos critérios para a seleção.

Sem pretensão de ser definitiva, a lista quer mostrar que ótimas histórias brasileiras já foram contadas nas telonas este ano.

1. Axé: Canto do Povo de Algum Lugar

Direção: Chico Kertész

Com generosos depoimentos de artistas como Caetano Veloso, Daniela Mercury e Margareth Menezes, e bom uso de imagens de arquivo, o diretor Chico Kertész conta a história do surgimento da axé music, gênero musical tipicamente brasileiro - fruto do sincretismo musical e cultural da Bahia.

2. A Glória e a Graça

Direção: Flávio R. Tambellini

A trama traz a tona reflexões sobre gênero e relações familiares ao contar a história de Glória (Carolina Ferraz), uma travesti bem-sucedida que vive distante da irmã, Graça (Sandra Carveloni). Os laços entre as duas vão ter que ser reatados a partir do momento que Graça descobre uma doença terminal.

3. Divinas Divas

Direção: Leandra Leal

O documentário acompanha o reencontro da primeira geração de travestis que brilhou nos teatros da Cinelândia na década de 1960. Rogéria, Valéria, Jane Di Castro estão entre as estrelas que recordam os desafios e conquistas do grupo que chacoalhou a moral de uma época com muito talento e brio.

4. Malasartes e o Duelo com a Morte

Direção: Paulo Morelli

Humor e fantasia se encontram neste que o filme recordista de efeitos especiais na história do cinema brasileiro. A trama acompanha as desventuras de Malasartes (Jesuíta Barbosa), sujeito caipira e muito esperto, que precisa se safar de uma grande emboscada armada pelo padrinho, a Morte (Julio Andrade).

5. O Filme da Minha Vida

Direção: Selton Mello

Visualmente impecável, o filme conta a história de Tony (Johnny Massaro), um jovem professor de francês na Serra Gaúcha do anos 1960 que precisa lidar com a ausência inesperada do pai. Em meio ao desabrochar do amor, ele descobre uma verdade que o força a tomar as rédeas da própria vida.

6. João, o Maestro

Direção: Mauro Lima

Esta é a cinebiografia do pianista e maestro João Carlos Martins. Prodígio do piano desde a infância, o músico sofreu um acidente que prejudicou sua mão direita. Enquanto tentava se restabelecer, perdeu em outro acidente os movimentos da mão esquerda, fato que o obrigou a se reinventar mais novamente.

7. Clarisse ou Alguma Coisa Sobre Nós Dois

Direção: Petrus Cariry

De visual atraente, este filme de suspense dividiu opiniões entre a crítica especializada. A trama conta a espinhosa história de Clarisse (Sabrina Greve), que descobre segredos perturbadores de sua infância, envolvendo um irmão que morreu, ao visitar o pai moribundo em uma cidade distante de Fortaleza.

8. Fala Comigo

Direção: Felipe Sholl

Filho de uma terapeuta, Diogo (Tom Karabachian) sente prazer ao ligar para as pacientes de sua mãe. Por meio desse estranho fetiche, ele acaba se envolvendo em uma complicada relação com uma mulher de 43 anos que acaba de se separar do marido. Fala Comigo foi o grande vencedor do Festival do Rio 2016.

9. Corpo Elétrico

Direção: Marcelo Caetano

O proletariado LGBT está em destaque. A trama do filme mostra o dia a dia de Elias (Kelner Macêdo), jovem paraibano que trabalha como em uma fábrica de confecção em São Paulo. A diversão dos seus dias está na companhia dos colegas pós-expediente e nos encontros fortuitos com outros homens.

10. Redemoinho

Direção: José Luiz Villamarim

Amigos de infância no interior de Minas Gerais, Luzimar (Irandhir Santos) e Gildo (Júlio Andrade) seguiram rotas de vida diferentes. Luzimar nunca saiu da cidade, enquanto Gilso se mudou para São Paulo. Adultos, eles se reencontram na noite de Natal e mergulham num doloroso mar de memórias em um inesperado acerto de contas.

11. Joaquim

Direção: Marcelo Gomes

De José da Silva Xavier a Tiradentes. Este drama histórico investiga os acontecimentos que tornaram um dentista de Minas Gerais em um herói e mártir nacional. Julio Machado é quem interpreta o líder da Inconfidência Mineira. Joaquim foi o único filme brasileiro na seleção oficial do Festival de Berlim 2017

12. Era O Hotel Cambridge

Direção: Eliane Caffé

Com trama pra lá de atual, o filme acompanha o dia a dia de refugiados recém-chegados ao Brasil e um grupo de sem tetos que ocuparam um edifício abandonado no centro de São Paulo. Sob o medo constante de uma ação do Batalhão da Polícia Militar, essas pessoas lidam com seus dramas, semelhanças e diferenças.

13. Bingo - O Rei das Manhãs

Direção: Daniel Rezende

Dramédia livremente inspirado na vida de Arlindo Barreto, um dos mais excêntricos intérpretes do palhaço Bozo na década de 1980. A trama conta a história de Augusto (Vladimir Brichta), um sujeito que sempre perseguiu a fama, mas se vê preso ao anonimato por causa de uma cláusula de contrato.

LEIA MAIS:

- O filme 'Corpo Elétrico' e a memória da exploração que transformou minha vida

- Em 'Como Nossos Pais', novo filme de Laís Bodanzky, revolução da mulher está em livrar-se da culpa

14 mulheres famosas que sabem que você merece pagamento igual