NOTÍCIAS

Nova fase da Lava Jato mira compra de votos na escolha do Rio como sede olímpica

Polícia Federal apura esquema criminoso envolvendo o pagamento de propina em troca da contratação de empresas terceirizadas por parte do governo fluminense.

05/09/2017 10:12 -03 | Atualizado 05/09/2017 10:12 -03
Kai Pfaffenbach / Reuters
Então prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, com o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach.

Por Aécio Amado

Policiais federais cumprem na manhã de hoje (5), no Rio de Janeiro, dois mandados de prisão preventiva e 11 de busca e apreensão, em nova fase da Operação Lava Jato. A Operação Unfair Play tem o objetivo de desmontar um esquema criminoso envolvendo o pagamento de propina em troca da contratação de empresas terceirizadas por parte do governo fluminense.

As investigações, que contam com apoio de autoridades francesas, indicam a possibilidade de participação de dono de empresas terceirizadas em suposto esquema de corrupção internacional para a compra de votos para a escolha da cidade do Rio de Janeiro pelo Comitê Olímpico Internacional como sede das Olimpíadas 2016, "o que ensejou pedido de cooperação internacional com a França e os Estados Unidos", diz a nota da Polícia Federal.

"As investigações, iniciadas há nove meses, apontam que os pagamentos teriam sido efetuados tanto diretamente com a entrega de dinheiro em espécie, como por meio da celebração de contratos de prestação de serviços fictícios e também por meio do pagamento de despesas pessoais. Além disso, teriam sido realizadas transferências bancárias no exterior para contas de doleiros".

Os mandados judiciais foram expedidos pela 7ª Vara Federal Criminal, no Rio, e estão sendo cumpridos em endereços nos bairros do Leblon, Ipanema, Lagoa, centro, São Conrado, Barra da Tijuca, na zona sul, e do Jacaré, na zona norte, e no município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, e em Paris, na França.

Olimpíada: 13 atletas LGBT que brilharam na Rio 2016

LEIA TAMBÉM:

- Rio pode ter pago para sediar a Olimpíada, diz jornal francês

- Queniana que bateu recorde na São Silvestre venceu em Londres após machucar a cabeça