ENTRETENIMENTO

7 coisas que você provavelmente não sabe sobre 'Bingo - O Rei das Manhãs'

Aqui está uma lista de curiosidades para quem já assistiu ao filme nos cinemas. E para você que não viu também.

02/09/2017 07:25 -03 | Atualizado 04/09/2017 11:14 -03

Bingo – O Rei das Manhãs está em cartaz em salas de cinema de todo o Brasil.

Combinação de comédia e drama, o filme é livremente inspirado na carreira de Arlindo Barreto, ator que entrou para a história como um dos mais excêntricos a se caracterizar como o palhaço e apresentador Bozo na década de 1980.

Na trama, Vladimir Brichta vive Augusto, um ator que busca seu lugar sob os holofotes. De forma não planejada, ele conquista estrondoso sucesso como Bingo, um palhaço de um programa infantil nas manhãs da TV. Uma cláusula de contrato, no entanto, impede que Augusto seja verdadeiramente conhecido.

Para além das piadas, risos e gincanas infantis, Augusto tem uma vida cercada de excessos, no conhecido estilo drogas, sexo e rock'n'roll. Retrato dos excessos oitentistas dentro e fora da TV, Bingo – O Rei das Manhãs esconde pelo menos 7 curiosidades que podem interessar tanto quem já assistiu ao filme quanto para quem planeja ver.

O HuffPost Brasil lista todas elas a seguir:

1. Bingo tem algo em comum com A Árvore da Vida e Robocop.

Divulgação

Essa ligação está no diretor Daniel Rezende. Bingo – O Rei das Manhãs é sua estreia na direção. Editor com experiência dentro e fora do Brasil, Rezende foi o responsável pela montagem dos filmes: A Árvore da Vida (2011), Robocop (2014), além dos sucessos nacionais Cidade de Deus (2002), Tropa de Elite 1 e 2 (2007) e Ensaio Sobre a Cegueira (2008) – entre outros. O próximo trabalho do cineasta também promete causar burburinho. Ele será o do primeiro filme em live-action da Turma da Mônica, que tem previsão de estreia para 2018.

2. Gretchen adorou a versão dela representada por Emanuele Araújo.

Warner/Divulgação

Apesar de ficcionalizado, Bingo – O Rei das Manhãs é repleto de referências reais à trajetória de Arlindo Barreto. Uma delas é a presença de Gretchen, com quem o ator teve um romance no auge da fama. No filme, a dançarina e cantora é interpretada pela atriz Emanuelle Araújo. Gretchen autorizou sua representação no filme e, numa ação de divulgação da Warner, assistiu ao resultado e revelou o que achou. Veja no player abaixo:

3. O papel do protagonista foi escrito inicialmente para o ator Wagner Moura.

Divulgação

Em entrevista ao Hugo Gloss, o diretor Daniel Rezende contou que o papel do protagonista foi escrito inicialmente para Wagner Moura. Durante dois anos, a participação dele foi dada como certa. No início das filmagens, no entanto, Moura teve problemas de agenda. A solução para o problema veio do próprio ator, que indicou Vladimir Brichta para fazer o filme no seu lugar. Rezende ainda não conhecia Brichta pessoalmente, mas admirava trabalho dele. Depois de mandar o roteiro para o ator, combinou um café da manhã com ele. Ao encontrar o diretor, Brichta agradeceu pelo papel do grande personagem que aguardava há tempos. Essa história dos bastidores acabou virando um esquete protagonizado pelo dois atores e usada como material de divulgação do filme. Veja no player abaixo:

4. Há uma participação cheia de simbolismo do ator Domingos Montagner.

"Palhaço não obedece. Se mandarem você abaixar, você levanta. Se mandarem você se curvar, chuta a bunda dele. E não importa quantos tapas o palhaço vai levar. Ele sempre levanta e tenta de novo". Esse é um trecho da fala Domingos Montagner, morto há um ano por afogamento no Rio São Francismo. Ator com longa trajetória como palhaço, Montagner aparece em Bingo - O Rei das Manhãs como mentor do personagem Augusto (Vladimir Brichta). Em entrevista a Pedro Bial, Brichta falou sobre os bastidores dessas participação.

"O Domingos participou desde a construção do roteiro do filme. Ele deu uma consultoria ao roteirista do Luiz Bolognesi ao Daniel Rezende. Ele falou sobre a origem e significado do palhaço, o que funciona e que não funciona [nessa figura] e o porquê da transgressão. O texto que ele fala em cena é uma verdadeira assessoria. Inclusive, depois quando a gente começou a ler [o roteiro], eu levantei algumas questões e ele ajudou a resolver."

5. O nome do palhaço Bingo é Augusto. E isso tem um motivo especial

Divulgação

A escolha do nome Augusto para o protagonista não foi por acaso. Em entrevista a Danilo Gentili, o diretor Daniel Rezende explicou que essa decisão foi tomada com a intenção de homenagear a figura do palhaço. "O tipo de palhaço mais conhecido e famoso no Brasil é o chamado palhaço Augusto. É o que pinta a cara. Geralmente, ele está acompanhado de outro palhaço, chamado de Branco ou Escada, que é o que prepara a cena para ele fazer a piada. A gente deu o nome de Augusto para o personagem a fim de homenagear os palhaços", disse.

6. A preparação de Wladimir Brichta para o personagem levou apenas 4 horas.

Divulgação

No Conversa com Bial, Vladimir Brichta também revelou que não passou muito tempo debruçado sobre a figura de Arlindo Barreto para construir seu personagem. Foram apenas 4 horas. A decisão do ator, no entanto, é plenamente justificável. Na entrevista, ele contou:

"Esse filme é inspirado na história de Arlindo Barreto, mas não é uma cinebiografia. Eu não tinha a obrigação de mimetizar o indivíduo, como no caso dos atores que interpretaram Cazuza, Tim Maia, por exemplo, personalidades que todos conheceram (...) Mas é óbvio que em algum momento eu precisava ter contato com ele, mesmo que não pessoalmente. Eu precisava entender um pouco mais aquele indivíduo. Eu só encontrei pessoalmente com ele na quinta semana de filmagem. Mas eu assisti a 4h30 de entrevistas que ele deu para a equipe do filme contando toda a história dele e que serviu de base para o roteiro. Daí eu fiquei quatro horas e meia siderado naquele cara. Nem tanto na história que ele contava, apesar das histórias incríveis, mas a forma como ele contava. O entusiasmo dele. Ele é um cara absolutamente entusiasmado. É um cara 220W (...) Ele é um contador de histórias."

7. Bingo tem sido considerado o melhor filme brasileiro desde Cidade de Deus.

Divulgação

Para alguns pode parecer exagero, mas Isabela Boscov, uma das críticas de cinema mais respeitadas do Brasil cravou: Bingo – O Rei das Manhãs: O melhor desde Cidade de Deus.

Em texto para a revista Veja, ela justificou a afirmação:

"Bingo – O Rei das Manhãs é o filme mais excitante, exuberante, atrevido e original feito por um cineasta brasileiro desde que Cidade de Deus foi lançado, quinze anos atrás. É uma viagem: aos anos 80 (que trilha sonora! que desenho de produção!), a uma cultura pop em efervescência, a uma TV cafona e engraçada, que andava testando os limites do admissível (ver Bingo apresentando seu programa infantil ao vivo, com aquele humor sacana e meio raivoso, é uma experiência indescritível), e a um drama que pode parecer muito particular – o do ator que tem de permanecer anônimo sob seu personagem –, mas que, na verdade, diz respeito a qualquer pessoa que já tenha sentido que a vida está escapando ao seu controle."

Assista ao trailer de Bingo - O Rei das Manhãs.

LEIA MAIS:

- 9 mulheres fundamentais para o cinema brasileiro

- Jesuíta Barbosa: 'Pedro Malasartes é o retrato do brasileiro'

7 avós inesquecíveis do cinema