ENTRETENIMENTO

Damián Alcázar: Novo protagonista de 'Narcos' fala sobre 3ª temporada da série e guerra às drogas

Ao HuffPost Brasil, ele disse ser favorável à descriminalização das drogas e elogiou mercado da maconha nos EUA e Uruguai.

01/09/2017 12:30 -03 | Atualizado 01/09/2017 12:31 -03
Divulgação/Netflix
Encarnando um dos irmãos Orejuela, do cartel de Cali, Damián Alcázar é novo protagonista de 'Narcos'.

A 3ª temporada de Narcos, que está disponível a partir desta sexta-feira (1º) na Netflix, traz um grupo de vilões com um modus operandi bastante diferente do violento Pablo Escobar, que marcou as duas primeiras temporadas. Os novos protagonistas são os barões do cartel de Cali, rivais dos traficantes de Medellín, que não sujam as mãos de sangue.

"Eles se dedicam a corromper os diferentes estratos da sociedade, como Exército e governo, mas há pouca violência entre eles", descreve Damián Alcázar, que interpreta Gilberto Rodriguez Orejuela, o líder de Cali, considerado "chefe dos chefes". "Eram homens pacíficos de negócios", resumiu o ator mexicano em uma mesa-redonda com jornalistas na Cidade do México na qual o HuffPost Brasil participou*.

Na série desde a segunda temporada, Alcázar destaca a liberdade criativa para compor sua personagem, baseada no verdadeiro Orejuela, que atuou fortemente no narcotráfico da Colômbia nos anos 80 e 90:

"Estudei muito sobre a História recente da Colômbia, que já conhecia, pois trabalhei muito tempo no país. Escutei as pessoas lá, como elas se referem aos cavalheiros de Cali. Ao estar lá e ver os edifícios, a que eles [os traficantes] se dedicavam, saber de suas famílias, você vai formando a personagem, para que não surja do nada. E acaba concebendo uma personalidade complexa."

Os assinantes da Netflix podem esperar muitas cenas de ação, com a perseguição policial e os conflitos entre os cartéis de Cali e do Norte do Vale.

A seguir, você conhece algumas opiniões de Alcázar, o protagonista desta temporada de Narcos:

Guerra às drogas

"As drogas devem ser legalizadas. Elas não vão se erradicar jamais na História da humanidade. Vai haver mais, vai haver novas drogas. Então para que guerrear? Para que derramar sangue e permitir que somente alguns enriqueçam? As drogas poderiam ser um mercado como o de álcool. Você compra uma bebida, um bom vinho. É maravilhoso o que está acontecendo no Uruguai [a descriminalização da maconha]. E os Estados Unidos estão fazendo muito bem e como um grande negócio."

Quem é Gilberto

"A personagem real é o rei da corrupção ou corruptor porque chega a todos os níveis da sociedade colombiana. Ele não mandava matar, até onde se sabe. Era um bom pai, um bom marido. Tão bom marido que tinha quatro esposas [risos]. Ele tem um afeto enorme pelo irmão mais novo. Desde pré-adolescente era arrimo de família, e isso conformou seu caráter. Ele está disposto a tudo para proteger sua família. Fez coisas fora da lei porque a lei decide o que está dentro. Se estivesse dentro, teria feito coisas maravilhosas. Porque a atividade dele deu muito vigor econômico a Cali."

Pablo X Gilberto

"Pablo se torna um vilão de verdade quando se vê encurralado como uma besta que querem matar. Então ele reage como uma besta também. Se o mordem, ele ataca. Esses traficantes, não. Eles sabem que o risco é a prisão, mas não vão arriscar suas vidas. Ao contrário, eles se cuidam. E viram para as autoridades: 'senhores, quanto querem?'. Eles não sacam a pistola como Pablo."

Wagner Moura

"Não tive pressão para nada (uma atuação como a de Wagner Moura, que foi indicado ao Globo de Ouro 2016). Se a mim tivesse sido dado o papel de Pablo Escobar, te asseguro que teria feito muito bem. Sem dúvida. E Wagner é evidentemente um grande ator."

*O jornalista viajou à Cidade do México em agosto a convite da Netflix.

LEIA MAIS:

- Os chefões do Cartel de Cali estão na mira do DEA no trailer da 3ª temporada de 'Narcos'

- 13 erros da 2ª temporada de Narcos, segundo o filho de Pablo Escobar

'Narcos' em 39 imagens incríveis