ENTRETENIMENTO

O protesto contra Temer e a diversidade no desfile de Ronaldo Fraga na SPFW

"Mr. Presidente, se você não pensa no Brasil, pense nos netos de Michelzinho."

31/08/2017 12:08 -03 | Atualizado 31/08/2017 12:17 -03

Ronaldo Fraga fez um protesto contra o o governo do presidente Michel Temer no encerramento de seu desfile na São Paulo Fashion Week (SPFW), que ocorreu nesta quarta-feira (20).

O estilista mineiro apareceu vestindo uma camiseta estampada com a imagens de uma pomba morta, manchas de sangue e o texto: "Mr. Presidente, se você não pensa no Brasil, pense nos netos de Michelzinho".

Nas costas, aparecia um desenho que simulava um tiro.

A crítica do estilista faz referência a recente decisão do governo de abrir para a exploração da iniciativa privada a região em que se localiza a antiga Reserva Nacional do Cobre e Associados (Renca), situado na divisa entre o Amapá e o Pará.

O ideia inicial de Fraga era usar a peça apenas no encerramento do desfile, mas o sucesso nos corredores do evento foi tão grande que ele resolveu colocá-la à venda.

De acordo com o site da revista Veja, a partir da próxima semana a camiseta estará no e-commerce da grife e na loja do estilista em Belo Horizonte.

O valor da peça ainda não foi definido, mas ele já antecipou que parte do valor arrecadados nas vendas será doado para caridade.

E não foi só a camiseta de Ronaldo Fraga que fez sucesso SPFW.

Realizado na frente da Oca, no Parque do Ibirapuera, o desfile do estilista causou frisson e repercussão nas redes sociais. Isso porque o estilista apostou alto na diversidade corpos na passarela.

O primeiro desfile do estilista dedicado totalmente a moda praia teve peças inspiradas nos anos 1920 e um casting formado por em modelos tatuados, idosos, gordos e deficientes físicos.

Assista ao desfile no player abaixo:

Quem acompanha o trabalho de Ronaldo Fraga sabe que esta não é a primeira vez que ele monta trabalha com modelos fora dos questionáveis padrões de passarela.

No último desfile antes dessa quarta, por exemplo, ele reuniu apenas modelos transexuais na passarela.

LEIA MAIS:

- O dia em que MC Carol desfilou na SPFW (e mostrou que a passarela é para todos)

- Sou gorda e minha existência não precisa de eufemismo

Fotógrafo está documentando corpos tatuados infiltrados na moda atual