MULHERES

Monalysa Alcântara. A terceira Miss Brasil negra. E o velho racismo brasileiro

Vitória da estudante piauiense foi recebida com hostilidade e comentários racistas nas redes.

22/08/2017 18:12 -03 | Atualizado 22/08/2017 18:13 -03

Na noite do último sábado (19), Monalysa Alcântara, de 18 anos, foi coroada campeã do Miss Brasil 2017.

Nascida no Piauí, a estudante de administração deixou para trás 26 adversárias, tornando-se a terceira mulher negra a vencer o concurso. Em 2016, a vencedora foi a candidata do Paraná, Raissa Santana, segunda negra a ganhar a competição.

O Miss Brasil é realizado anualmente desde 1954.

A conquista de Monalysa, no entanto, foi recebida com hostilidade e mensagens de cunho racista nas redes.

Muitas pessoas lamentaram o fato da estudante ter desbancado a representante do estado do Rio Grande do Sul, Juliana Mueller, de 25 anos - que ficou em segundo lugar.

A declaração da nova Miss Brasil após ganhar a faixa também irritou muita gente. Questionada sobre como representará a beleza brasileira internacionalmente, Monalysa respondeu:

Minha super estratégia será ser eu mesma: uma mulher nordestina, que passou por diversas coisas, muitas dores que fizeram ser quem eu sou hoje. Vou ser eu mesma. Não tem segredo.

"Credoooo! A Miss Piauí tem cara de empregadinha, cara comum, não tem perfil de miss, não era pra tá aí", escreveu uma mulher chamada Juliana Porto no Twitter. Veja abaixo:

Reprodução/Twitter

A mensagem foi das muitas que gerou indignação dos espectadores no Twitter. Assim que o comentário viralizou, o perfil de Juliana foi apagado.

Entretanto, a publicitária Andrea Costa salvou um print do comentário junto com diversas outras mensagens direcionadas à nova Miss Brasil. Em conjunto, elas revelam os diferentes graus de racismo praticados no Brasil.

A publicitária compartilhou todos os prints em um post no Facebook com a seguinte legenda: "Dear white people: Não é 'apenas sua opinião' quando a opinião em questão é preconceituosa".

A seguir, você acompanha os comentários coletados por Andrea.

Reprodução/Twitter

Reprodução/Twitter

Reprodução/Twitter

Reprodução/Twitter

Reprodução/Twitter

Reprodução/Twitter

Reprodução/Twitter

Reprodução/Twitter

Reprodução/Twitter

Reprodução/Twitter

Reprodução/Twitter

Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Sem citar os os comentários racistas, Monalysa publicou nesta terça (22) um breve texto em sua página no Facebook falando sobre sua preparação para o Miss Universo e agradecendo o apoio de seu estado. "Obrigada meu Deus, obrigada Brasil, obrigada meu Piauí!", escreveu.

LEIA MAIS:

- Esta estampa da Farm levantou um novo debate sobre racismo no mercado da moda

- Meu filho foi vítima de racismo no Shopping Higienópolis, acusa jornalista

12 filmes na Netflix em que negros são protagonistas