NOTÍCIAS

Johnson & Johnson é condenada a pagar R$ 1 bilhão a cliente

Norte-americana de 62 anos acusa empresa de causar seu câncer no ovário por conta do uso de um talco.

22/08/2017 10:03 -03 | Atualizado 22/08/2017 10:09 -03
Bloomberg via Getty Images
Essa é a terceira vez que a marca é condenada a pagar uma indenização do tipo

Um tribunal de Los Angeles, nos Estados Unidos, condenou a gigante Johnson & Johnson a pagar US$ 417 milhões (cerca de R$ 1,3 bilhão) a uma norte-americana de 62 anos que acusava a empresa de causar seu câncer no ovário por conta do uso de um talco.

Eva Echeverria abriu o processo por não ter sido informada do risco de desenvolver a doença pelo uso do produto para higiene íntima.

A empresa, por sua vez, alega que não há estudos que apontem que o talco seja um produto cancerígeno e anunciou que vai recorrer da decisão.

Essa é a terceira vez que a marca é condenada a pagar uma indenização do tipo. No ano passado, um tribunal de Saint Louis, também nos Estados Unidos, condenou a J&J a pagar US$ 70 milhões (cerca de R$ 220 milhões) para uma cliente que fez a mesma alegação.

Em maio deste ano, em Missouri, outro júri condenou a Johnson & Johnson a indenizar uma cliente em US$ 110 milhões (R$ 345,4 milhões) pelo mesmo motivo.

Estima-se que a empresa esteja respondendo entre quatro e cinco mil ações por conta da doença.

LEIA MAIS:

- Você perderá seu emprego para um robô? Este site revela quais as chances disto acontecer

- O que o 'manifesto' sobre gêneros do Google realmente diz sobre o Vale do Silício

13 celebridades que chamaram a atenção para a saúde mental em 2016