ENTRETENIMENTO

5 vezes que o 'MasterChef 2017' foi muito mais do que entretenimento nas noites de terça

Uma seleção de grandes momentos que ultrapassaram a competição entre cozinheiros amadores.

22/08/2017 20:21 -03 | Atualizado 22/08/2017 20:24 -03

Há quase 6 meses no ar, o MasterChef Brasil 2017 chega ao fim nesta terça-feira (22).

Paola Carosella, Henrique Fogaça e Erick Jacqui Jacquin vão finalmente decidir quem é o grande campeão. Ou melhor, campeã. Pela segunda vez em quatro temporadas, o talent show tem uma final com duas mulheres.

Na estreia, em 2014, o páreo ficou entre Elisa Fernandes e Helena Manosso. Elisa levou a melhor.

Desta vez, as finalistas são Michele Crispim e Deborah Werneck. Com perfis distintos e torcidas equilibradas, as duas disputam o prêmio de R$ 200 mil e uma bolsa na escola francesa de gastronomia Le Cordon Bleu, em Paris.

A partir das 22h30, horário que o programa vai ao ar, você irá esbarrar em algum comentário sobre o programa e seus envildos nas redes sociais. Sucesso de audiência na Band, a atração é muito bem-sucedida também nas redes sociais.

São em ambientes como o Twitter, Facebook e Instagram que o programa se torna algo além de uma competição entre cozinheiros amadores, conduzida por jurados ora sisudos, ora carismáticos – que seguem roteiros pré-estabelecidos.

São nas redes sociais que os jurados e competidores expõem suas visões de mundo – gerando reflexões importantes junto à audiência. São nas redes que detalhes se transformam em boas conversas.

A seguir, o HuffPost Brasil lista 5 momentos em que o MasterChef Brasil 2017 foi muito mais do que um programa de entretenimento nas noites de terça-feira.

1) Quando Caroline Martins fez um desabafo sobre consumo.

Depois de ser alvo de críticas que apontavam o uso das mesmas roupas e sapatos, a participante Caroline publicou em sua conta pessoal no Facebook um extenso relato sobre sua trajetória e eventos que fizeram com que aderisse ao que chama de "estilo de vida minimalista". O textão da pesquisadora do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) colocou muita gente pra pensar.

2) Quando os brasileiros se apaixonaram pela Yukontorn Tappabutt.

Yuko mora no Brasil há 10 anos. Professora de tailandês e youtuber cheia de carisma, ela foi incentivada pelos seus seguidores na plataforma a participar do talent show culinário. Quando pisou os pés na atração, caiu nas graças do público. Com práticas culinárias diferentes das praticadas no Brasil, a cozinheira amadora aprendeu com os jurados e oponentes - num convivío cheio de boas trocas, admiração entre culturas e simpatia.

3) Quando Leonardo não se calou diante de um ataque racista.

Um dos participantes mais perfeccionistas da temporada, Leonardo Santos foi alvo de ataque racista nas redes no começo de julho, quando ainda participava da competição. Chamado de "lixo", assim como outros participantes negros que passaram pelo programa, o publicitário não se calou. Em seu perfil pessoal no Facebook, o competidor compartilhou um longo relato sobre sua trajetória e o racismo que sempre o cercou. "Não usar xingamentos explícitos, ou falar sobre cor da pele não te faz uma pessoa livre de preconceito, suas atitudes sim são capazes de falar sobre você", escreveu Leonardo.

4) Quando Paola Carosella jogou a real sobre alimentação e saúde.

Uma das juradas do MasterChef Brasil, dona de restaurante e café badalados em São Paulo, Paola Carosella também faz questão de se posicionar fora do programa em assuntos dos quais tem conhecimento. No final de abril, a chef argentina participou de um vídeo do canal de Youtube do cineasta Fernando Grostein Andrade (Quebrando Tabu). Ao longo de 17 minutos, ela falou sobre a indústria da comida e sua influência na explosão de distúrbios relacionados à (má) alimentação que se deu no Brasil e no mundo a partir das década de 1970. Papo sério.

5) Quando Paola Carosella emocionou Erick Jacquin.

Ações e reações que não estão descritas em roteiro geralmente são as mais emocionantes. Um ótimo exemplo disso foi o episódio em que Paola decidiu recordar a trajetória do colega francês. "Ele aprendeu na cozinha francesa, com muita disciplina. Teve 10, 15 anos de formação. Algo que quase não existe hoje", declarou a chef argentina. Jacquin, que mantém a pose do jurado mais rabugento do trio, mas teve de segurar as lágrimas. Essa cena de companheirismo foi bonita de ver. <3

LEIA MAIS:

- O dia em que Paola Carosella distribuiu elogios, emocionou o público e até ganhou um emoji no Twitter

- 7 motivos pelos quais Michele merece ganhar o 'MasterChef Brasil 2017'

Candidatos do MasterChef 2017