LGBT

As pessoas estão muito orgulhosas da participação de Pabllo Vittar no 'Encontro'

"Gosto de ser afeminada, de ser isso aqui, de sair na rua às vezes de boné. Eu gosto de ser o que eu quiser ser."

09/08/2017 12:41 -03 | Atualizado 09/08/2017 13:07 -03

A manhã desta quarta-feira (9) foi de lacre e orgulho para a comunidade LGBT no Brasil.

Pabllo Vittar esteve no programa Encontro e falou de forma franca sobre sua identidade de gênero, colaborando assim para o fim do preconceito e o estigma enfrentados por gays afeminados e drag queens em todo o Brasil.

Ela abriu a atração cantando o hit Sua Cara, parceria com Anitta e Major Lazer e, na sequência, conversou com Fátima Bernardes sobre a escolha de seu nome artístico.

"Bom dia, montadas da minha nação!", disse a cantora antes do bate-papo com Fátima.

Questionada pela apresentadora se já havia pensado em adotar um nome de mulher para "combinar com o personagem" que ela criou, Pabllo respondeu:

"Nunca senti a necessidade de optar por um nome feminino porque, quando eu decidi fazer drag, eu queria passar verdade através da minha arte, música, do que eu acho que sou eu. Pabllo me representa de uma forma que você não tem noção."

Ao completar a resposta, ela também defendeu a liberdade de ser quem ela quiser ser.

"Acho que se eu tivesse um nome feminino, não ia passar tanta verdade. Não gosto de me trancar em uma caixa. Gosto de ser afeminada, de ser isso aqui, de sair na rua às vezes de boné. Eu gosto de ser o que eu quiser ser."

A drag e cantora maranhense de 22 anos ainda se apresentou ao lado de Preta Gil no palco do programa. As duas lançaram nesta semana o single Decote.

Assista ao lyric vídeo:

No Twitter, a participação de Pabllo na atração matinal da Globo foi comemorada com entusiasmo. O assunto ficou no topo da lista de mais comentados na rede social.

LEIA MAIS:

- O que Pabllo Vittar pode nos ensinar sobre beleza para todos

- Do Maranhão para o mundo: O sucesso de Pabllo Vittar chegou até a Billboard

10 gays assumidos que já ganharam Osc