MULHERES

Designer inspirada por síndrome de Marfan cria lindos sapatos para mulheres de pés grandes

"Se eu não tivesse criado meus próprios sapatos, não sei o que estaria usando."

28/07/2017 18:06 -03 | Atualizado 01/08/2017 12:02 -03

Uma mulher com síndrome de Marfan, que desde a infância teve dificuldade de encontrar sapatos que coubessem em seus pés perfeitamente, lançou sua própria grife e está ajudando outras pessoas que atualmente enfrentam o mesmo dilema.

Caroline Stillman — que recebeu apoio de celebridades como Sarah Jessica Parker e Gemma Collins, estrela da novela britânica "The Only Way is Essex" (TOWIE) — criou a grife Carobella para todas as mulheres com dificuldade de achar sapatos bonitos para pés grandes.

Stillman tem a síndrome de Marfan, uma rara mutação cromossômica hereditária que pode causar braços e pernas desproporcionalmente longos e magros (Stillman tem 1,95m de altura), bem como problemas cardíacos e oculares.

Ao invés de fazer com que ela abandonasse seu amor pela moda, Stillman, que nasceu em Uppingham, Rutland (Inglaterra), começou a fazer um curso de design de moda e lançou sua própria marca de sapatos no ano passado.

Com 25 anos, Stillman — que se formou pela London College of Fashion — conversou com o HuffPost UK sobre sua paixão por sapatos bonitos, sobre sua luta diária contra o câncer recém-diagnosticado, um linfoma de Hodgkin, e por que ela espera inspirar e ajudar outras pessoas que tenham a síndrome de Marfan.

Caroline Stillman / Rutland Stamford Mercury
Caroline Stillman com sua coleção de sapatos.&

Que tipos de problemas você enfrentava anteriormente quando tentava comprar sapatos?

Enfrentava muitos problemas para comprar calçados — ou tentar comprar. Costumava encomendar meus sapatos on-line dos Estados Unidos, mas o envio e taxas alfandegárias passavam de 100 libras esterlinas [cerca de R$ 400] todas as vezes, e o site onde eu comprava acabou fechando.

Tinha de usar tamanhos de mulheres adultas quando criança e, quando virei adolescente, fiquei sem opções e tinha de usar sapatos de homens ou tênis masculinos. Ao não ter sapatos que coubessem, às vezes tinha que apertar [meus pés] em calçados menores, causando grandes complicações agora que sou adulta.

Caroline Stillman

Como você é afetada pela síndrome de Marfan?

A síndrome de Marfan me afeta de várias formas. A mais óbvia é ter 1,95m e calçar 43. A não tão óbvia é que tenho um problema cardíaco, e minha aorta é muito maior do que deveria. Agora mede 7cm, mas está aumentando gradualmente, então em breve terei de fazer uma cirurgia no coração para colocar um stent para cobri-la e evitar que eu tenha um aneurisma.

A síndrome também pode afetar seus olhos, pulmões, costas, ossos e outras coisas. Resulta da ausência do gene chamado fibrilina 1, que é uma proteína encontrada em nossos genes. Isso causa um enfraquecimento do tecido conjuntivo.

Também acabei de ser diagnosticada com o câncer linfoma de Hodgkin, e a síndrome de Marfan está causando mais problemas do que eu pensava. Não posso receber tratamento de fertilização in vitro antes de começar a quimioterapia, porque é prejudicial para o meu coração. As injeções que eles dão para produzir os óvulos e a quimio também serão muito difíceis, porque enfraquecem os músculos do coração e os meus já são muito fracos.

Ter câncer é uma coisa, mas ter síndrome de Marfan e câncer é algo muito difícil de lidar, já que os dois não se dão bem juntos.

Caroline Stillman

Por que você decidiu abrir sua própria empresa de calçados?

Lancei minha própria marca de calçados porque tinha muita dificuldade em encontrar sapatos que coubessem. Os únicos sapatos que tenho que não são da minha marca são os tênis Vans, e mesmo assim são difíceis de conseguir porque uso tamanho 43, de homens, que ficam muito largos nos meus pés.

Sofri bullying, não apenas por ser alta, mas também por usar sapatos muito horríveis na escola. Tinha de usar tênis e sapatos de meninos na escola — era horrível.

Se eu não tivesse criado meus próprios sapatos, não sei o que estaria calçando.

A dificuldade é real quando se trata de encontrar sapatos que caibam em meus pés, especialmente pares elegantes e femininos. Há alguns disponíveis, mas a maioria de número 43 está esgotada e, normalmente, são muito largos para mim e os saltos muito altos.

Com a síndrome de Marfan, sofro por ter pés muito estreitos, por isso é difícil encontrar sapatos por esta razão, já que os fabricantes pensam que pés grandes também significam pés largos.

Quando você lançou a Carobella?

Lancei meu site em abril de 2016, que tem um botão de assinatura para que as pessoas se inscrevam. Tinha 500 assinantes depois de apenas alguns meses e lancei oficialmente os calçados no site em dezembro de 2016.

Você estudou design de moda?

Saí da escola por sofrer bullying devido ao fato de ser alta, e isso aconteceu antes de receber qualquer certificado.

Entrei na faculdade para estudar arte e design; depois fui para outra faculdade para estudar moda, e design de calçados estava incluído no curso.

Adoro tanto fazer meus próprios sapatos que me inscrevi em design de calçados na London College of Fashion e, por sorte, fui aceita.

Terminei a London College of Fashion em 2014 e me graduei pela Universidade De Montfort, em Leicester, em 2016.

Quantas coleções você criou até agora?

Até agora tenho duas coleções — uma coleção de inverno e uma de verão. Não tenho me sentido bem ultimamente, mas tenho os modelos prontos para minha terceira coleção, que será confeccionada assim que me senti melhor outra vez.

Você já entrou em contato com grandes lojas para saber se elas venderiam sua coleção de calçados?

Ainda não contatei nenhuma grande loja —, mas meu sonho é que meus sapatos sejam vendidos em lojas. Assim, qualquer pessoa nas lojas pode provar sapatos que sirvam em seus pés. Isso sempre foi um sonho que tive, e adoraria dar esse luxo a outras pessoas.

Que tipo de feedback recebeu dos clientes até agora?

O feedback que tive fez toda essa jornada valer a pena. Tenho uma garota na Suécia que compra meus sapatos — de apenas 12 anos e que tem síndrome de Marfan; ela adora os sapatos que mando para ela.

Mulheres na Inglaterra disseram que dei brilho às suas vidas e que as fiz sentir como Cinderelas. Todas comentaram que os sapatos são muito confortáveis e que se moldam aos seus pés.

Sarah Jessica Parker curtiu meu post no Instagram que mostrava meus sapatos Carrie, que receberam o nome dela [da personagem da série "Sex and the City"].

E até vendi sapatos para Chandi, do reality show 'I Am Caitlyn', dos EUA. Suas palavras foram: 'Eu vivo para sapatos como os seus'.

Também conversei com Gemma Collins, da TOWIE, e ela também adora os sapatos. O apoio tem sido incrível.

Você enfrenta problemas semelhantes quando está comprando roupas?

Enfrentei problemas semelhantes com roupas quando era mais jovem, mas agora é muito mais fácil. Existem ótimos sites disponíveis e até lojas como Topshop, Misguided, Boohoo.com e ASOS, todas com incríveis seções para [pessoas] altas.

Você teria interesse em atuar no ramo de roupas?

Também adoraria desenhar e vender roupas para [pessoas] altas. Está na lista de coisas que quero fazer; é um objetivo que tenho e que espero concretizar algum dia, quando tenha dinheiro para tal.

Adoraria fazer roupas de ginástica elegantes para mulheres altas, pois é muito difícil encontrar roupas de ginástica que sirvam e tênis modernos do meu tamanho.

O que você espera conseguir com sua marca nos próximos 12 meses?

No momento, estou realmente trabalhando para melhorar e me livrar completamente do câncer, mas isso não me impediu de tocar meu negócio.

Minha síndrome de Marfan me deu a força que eu precisava para lidar com a luta contra o câncer, e meu negócio me deu algo incrível para [querer] levantar todos os dias. É minha razão para continuar acreditando e lutando.

Tenho tantas coisas que quero fazer e quero viver para poder fazer todas elas. Quero ter uma nova linha com opções largas e estreitas — e também até o tamanho 46.

Quero ter saltos feitos para meus clientes transgênero.

Adoraria fazer uma coleção com Sophia Webster; ela é absolutamente meu ídolo em designer de sapatos —, mas também Sarah Jessica Parker, adoro seu estilo e design de sapatos.

Quero que meus sapatos sejam vendidos na Selfridges e Harrods. Quero ter uma coleção de roupas e vestuário de ginástica.

Também quero ajudar a aumentar a conscientização sobre a síndrome de Marfan, porque é muito pouco conhecida. Ainda ouço médicos me perguntarem o que é a síndrome de Marfan, o que é bem chocante.

Participei da cerimônia "Women In Business Awards 2016" em Londres e fiquei em segundo lugar como mulher mais inspiradora, por isso adoraria ganhar esse prêmio um dia.

Também adoraria ver celebridades como Kendal e Khloe usando meus sapatos, seria incrível.

A coleção de calçados completa está disponível em CarobellaBoutique.co.uk.

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost UK e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Modelo com distrofia muscular é estrela de nova campanha da marca de Beyoncé

- Estas mulheres ficaram nuas para redefinir o que é a 'beleza americana'

Artistas com deficiência de desenvolvimento exploram a beleza que envolve os alimentos