LGBT

Veterana de guerra explica que identidade de gênero não importa quando você está sangrando até a morte

"Eu lutarei pelos serviços para os transgêneros", promete a senadora Tammy Duckworth, veterana de guerra.

27/07/2017 19:56 -03 | Atualizado 27/07/2017 20:01 -03
Alex Wong via Getty Images
Senadora Tammy Duckworth critica Trump sobre proibição à transgêneros.

A senadora Tammy Duckworth (Illinois) não poupou palavras para comentar sobre a proibição de transgêneros nas Forças Armadas dos Estados Unidos pelo presidente Trump.

Em entrevista à Anderson Cooper, no dia 26 de julho, Duckworth disse que Trump "não tem o perfil para ser o comandante-chefe". Duckworth disse à Cooper que Trump deve ter emitido a proibição apenas para agradar sua base, porque "certamente não é uma questão de preparação militar".

"Eu não sei por quê o presidente está fazendo isso. Tudo o que ele está fazendo é prejudicial para a coesão da unidade", disse. "Eu lutarei pelos serviços para os trangêneros".

Duckworth serviu como piloto de helicóptero no Exército e na Guarda Nacional americanos de 1992 à 2014. Na Guerra do Iraque, ela perdeu as duas pernas em combate e recebeu o "Purple Heart", uma das mais altas condecorações que um militar pode receber. Ela foi a primeira mulher com as duas pernas amputadas na Guerra do Iraque.

(Senadora Tammy Duckworth, democrata e veterena da Guerra do Iraque: O serviço militar merece algo melhor do que a imprensa. A proibição surpresa de Trump para os trangêneros).

A veterana de guerra lembrou Cooper e os espectadores que a identidade de gênero não importou quando seu helicóptero foi atingido por um lança-granadas (LPG).

"Quando eu estava sangrando até a morte no meu helicóptero, depois que o lança-granadas atingiu a cabine de comando da aeronave e um americano veio me salvar, não me importava se ele era gay, hétero ou trangênero", disse Duckworth. "Só importava que eles usavam o uniforme do serviço militar dos Estados Unidos. E eu sempre me lembrarei disso".

Duckworth ainda falou que qualquer pessoa que queira servir e proteger os E.U.A deve ter essa habilidade, apenas.

"Se você deseja servir esse país de uniforme e você deseja colocar sua vida à disposição para protegê-lo, você merece ter condições de fazer isso", disse ela.

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Quem precisa de Trump? Canadá convida transexuais a se alistarem em suas Forças Armadas

- Trump proíbe que transexuais sirvam nas forças armadas dos EUA

As imagens da 21ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo