NOTÍCIAS

Justiça anula liminar que suspende aumento do PIS/Cofins sobre combustíveis

Alta no PIS/Cofins sobre combustíveis permite que o governo federal arrecade diariamente R$ 78 milhões.

26/07/2017 18:39 -03 | Atualizado 26/07/2017 18:39 -03
Brazil Photo Press/CON via Getty Images
O desembargador Hilton Queiroz, presidente do tribunal, atendeu a um recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) contra a suspensão do reajuste.

Por André Richter

O Tribunal Regional Federal (TRF-1), sediado em Brasília, decidiu há pouco anular a decisão que suspendeu o aumento das alíquotas do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) sobre a gasolina, o diesel e o etanol, anunciado pelo governo na quinta-feira (20).

A decisão foi proferida pelo desembargador Hilton Queiroz, presidente do tribunal, que atendeu a um recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) contra a suspensão do reajuste.

No recurso, a AGU informou à Justiça que a liminar impede que o governo federal arrecade diariamente R$ 78 milhões.

Mais cedo, antes da decisão que derrubou a cobrança, o juiz Renato Borelli, que concedeu a liminar, cobrou da Agência Nacional do Petroleo (ANP) o cumprimento de sua decisão e fixou multa diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento.

LEIA MAIS:

- Aumento da gasolina não pode ser feito por decreto, decide juiz

- Por que o biodiesel é importante para o clima e para a economia

As cidades com transportes mais perigosos para mulheres