MULHERES

Bahia tem terceira condenação por feminicídio

Condenação acontece menos de uma semana após a segunda sentença

18/07/2017 15:02 -03 | Atualizado 18/07/2017 15:19 -03
NurPhoto via Getty Images
Bahia é um dos estados que mais matam mulheres.

Por Sayonara Moreno

A Bahia registrou a terceira condenação por feminicídio, menos de uma semana após a segunda sentença. Desta vez, um homem foi condenado a 28 anos de prisão, em regime fechado, por ter matado a ex-companheira Adriana de Souza Santos, em setembro de 2016.

A sentença foi proferida nesta segunda-feira (17) pelo Tribunal de Justiça, no município de Jeremoabo, a 360 quilômetros de Salvador. No entanto, foi divulgada somente nesta terça (18) pelo Ministério Público da Bahia.

Segundo o órgão, Gilberto Damasceno Cândido cometeu o crime por não ter se conformado com a separação do casal. A sentença levou em conta o fato de a vítima ser mulher e o autor do crime tê-la subjugado "como sua posse" e ter deferido "um golpe de faca contra ela, causando a morte".

A sessão do tribunal do Júri foi presidida pelo juiz Leandro Ferreira Moraes, que considerou as características do crime como feminicídio, além de "motivo fútil e uso de recursos impossibilitando a defesa da vítima".

Desde a criação da Lei do Feminicídio, este é o terceiro caso de condenação pelo crime cometido na Bahia contra a mulher por razões da condição de sexo feminino. O segundo caso ocorreu na semana passada, no município de Monte Santo.

A primeira condenação por feminicídio no estado foi registrada em Salvador, em maio deste ano.

LEIA MAIS:

- Bahia condena 2º caso de feminicídio, mas estatísticas nacionais sobre a Lei ainda são escassas

- A solução para reduzir a violência doméstica é tratar os agressores

Ni Una A Menos: Argentina contra a violência de gênero