VIRAL

Esta foto do comitê LGBT+ da Coca-Cola gerou um debate sério sobre diversidade

"Diversidade? Um grupo de homens brancos representa a diversidade de quê?"

14/07/2017 17:19 -03 | Atualizado 14/07/2017 17:31 -03

Um post na página oficial da Coca-Cola Brasil no Facebook gerou controvérsia.

Nesta sexta-feira (14), a empresa compartilhou uma reportagem na qual apresenta seu "Comitê LGBT+", grupo que trabalha a questão de diversidade sexual dentro da empresa no Brasil.

Criado há tês anos, o comitê foi o responsável por uma ação interna focada na visibilidade LGBT que ultrapassou os limites da companhia, repercutindo com sucesso nas redes.

Em junho, mês internacional do orgulho LGBT, a companhia encheu as geladeiras de sua sede, no Rio de Janeiro, com latinhas de Fanta cujos rótulos traziam as cores da Coca-Cola e a seguinte frase estampada: "Esta Coca-Cola é Fanta, e daí?"

A latinha comemorativa se apropriava de um trocadilho homofóbico conhecido dos brasileiros.

No entanto, o que chamou a atenção dos seguidores da página da Coca-Cola não foi o sucesso da ação, mas sim o perfil do grupo responsável por pensar ações sobre diversidade para lésbicas, gays, bissexuais e pessoas trans que trabalham na empresa.

Reprodução/Facebook
Reprodução/Coca-Cola/Lucas Landau

A (falta de) diversidade do grupo foi criticada por dezenas de seguidores da página da Coca-Cola Brasil.

Reprodução/Facebook

Reprodução/Facebook

Reprodução/Facebook

Reprodução/Facebook

Reprodução/Facebook

Depois da reação negativa do público, a Coca-Cola compartilhou uma mensagem com alguns esclarecimentos no espaço de comentários.

No texto, a empresa afirma que o Comitê LGBT+ é aberto a todas os funcionários e que os seis rapazes que aparecem na reportagem compõem apenas um dos núcleos do Comitê de Diversidade - este, por sua vez é composto por grupos dedicados a gênero, raça, geração e pessoas com deficiência.

Reprodução/Facebook

Além disso, a empresa destacou que já publicou em seu site outras matérias sobre diversidade. E indicou o link com o título Liderança feminina: conheça histórias inspiradoras de funcionárias do Sistema Coca-Cola Brasil.

No texto da reportagem, a empresa acrescentou algumas informações em negrito:

O grupo LGBT+, aberto a todas as pessoas da empresa, é apenas um dos núcleos do Comitê da Diversidade, que é composto de outros quatro grupos dedicados a gênero, raça, geração e pessoas com deficiência.

[...] Naquela época, o grupo — formado por homens e mulheres e aberto a todas as pessoas da empresa — estava focado exclusivamente nas discussões sobre gênero. Três anos depois, ele foi ampliado e agora outros temas fazem parte da agenda: raça, geração, pessoas com deficiência e diversidade sexual.

A criação do comitê LBGT+ foi um passo importante na cultura da empresa. Os benefícios dos funcionários já haviam sido estendidos para os casais homoafetivos, e o grupo continuará trabalhando para que a Coca-Cola Brasil seja uma empresa cada vez mais inclusiva. A ideia agora é atrair mulheres LGBTs e pessoas heterossexuais para o grupo.

LEIA MAIS:

- 10 iniciativas sociais em prol da comunidade LGBT que você precisa conhecer

- Meu filho é gay e eu me tornei militante LGBT para combater a homofobia

Os 10 piores países do mundo para gays