LGBT

Corpo encontrado carbonizado era de jovem gay assassinado pela mãe

O corpo do jovem Itaberlly Lozano foi identificado pelo IML. Ele foi encontrado carbonizado em um canavial.

14/07/2017 15:36 -03 | Atualizado 14/07/2017 15:59 -03
Reprodução/Facebook
O Instituto Médico Legal (IML) de São Paulo publicou o laudo na última quinta-feira (13).

Em dezembro, uma mãe confessou ter matado o próprio filho em Cravinhos, interior de São Paulo. Quase seis meses após o crime, o corpo do jovem foi identificado após um exame de DNA. Ele foi encontrado carbonizado em um canavial da região, de acordo com o Estadão.

O Instituto Médico Legal (IML) de São Paulo publicou o laudo na última quinta-feira (13).

O jovem de 19 anos foi assassinado pela mãe, Tatiana Lozano Pereira, com ajuda do padrasto, porque era gay. De acordo com ela, o jovem usava drogas, "levava homens para casa" e ameaçava os familiares de morte.

Tatiana admitiu ter esfaqueado Itaberlly Lozano no dia 29 de dezembro com a ajuda do marido, padrasto do rapaz, que incendiou o corpo em um canavial.

O assassinato chocou a cidade de 34 mil habitantes. O Estadão apurou que uma semana antes do crime, Itaberlly fez um post em seu perfil na rede social em que denunciava a mãe por não aceitar sua homossexualidade.

No texto, que foi recuperado pela polícia, ele escreveu: "Lembrando que essa mulher que eu chamava de mãe me espancou e colocou uma renca de mlk (moleques) atrás de mim para me bater, me pôs para fora de casa e me deu uma pisa (surra), sabe por quê? Porque eu sou gay".

O casal está preso e o processo segue em segredo de justiça.

David Mdzinarishvili / Reuters

Homofobia no Brasil

Levantamento do Grupo Gay da Bahia (GGB) revela que uma pessoa é morta a cada 25 horas por ser lésbica, gay, bissexual, travesti ou transsexual no Brasil.

Em 2016, foram pelos 343 pessoas mortas por crimes de ódio à população LGBT. Este é o maior índice em 37 anos, afirma o GGB.

O grupo ainda alerta para a falta de registros e estatísticas que dificultam o mapeamento da violência conta a população LGBT.

LEIA MAIS:

- Mãe confessa assassinato do filho de 19 anos em Ribeirão Preto

- #SerGayÉ: Vídeo com trechos de 'Orações para Bobby' alerta sobre intolerância de pais que acreditam em 'cura gay'

- O que há depois do ódio?

Trudeau na Parada Gay em Vancouver