POLÍTICA

A condenação de Lula em 7 frases do juiz Sérgio Moro

"Crimes não são cometidos no céu e, em muitos casos, as únicas pessoas que podem servir como testemunhas são igualmente criminosos."

12/07/2017 16:54 -03 | Atualizado 12/07/2017 16:54 -03
Rodolfo Buhrer / Reuters
Decisão do juiz Sérgio Moro condenou o ex-presidente Lula a nove anos e seis meses de prisão.

Nas 260 páginas em que anunciou a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o juiz Sérgio Moro, responsável pela condução da Operação Lava Jato na Justiça do Paraná, rebateu críticas e fundamentou sua decisão.

O ex-presidente foi denunciado pelo Ministério Público Federal por ter recebido R$ 3,7 milhões de propina da OAS. O repasse foi feito por meio de upgrade em imóveis, reforma e decoração de um tríplex, além do armazenamento de bens do ex-presidente pela empreiteira.

Lula foi condenado a nove anos e seis meses de prisão. A defesa dele nega que o apartamento seja de propriedade do ex-presidente e diz que ele é alvo de perseguição. Em regra, a prisão só ocorre após a decisão confirmada pela 2ª instância. A sentença ainda cabe recurso da decisão.

Aqui sete frases do juiz que resumem a essência da sentença:

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não está sendo julgado por sua opinião política e também não se encontra em avaliação as políticas por ele adotadas durante o período de seu Governo.
Também não tem qualquer relevância suas eventuais pretensões futuras de participar de novas eleições ou assumir cargos públicos.
Crimes não são cometidos no céu e, em muitos casos, as únicas pessoas que podem servir como testemunhas são igualmente criminosos.
Como defesa na presente ação penal, tem ele, orientado por seus advogados, adotado táticas bastante questionáveis, como de intimidação do ora julgador, com a propositura de queixa-crime improcedente, e de intimidação de outros agentes da lei, Procurador da República e Delegado, com a propositura de ações de indenização por crimes contra a honra.
Quem, em geral, vem criticando a colaboração premiada é, aparentemente, favorável à regra do silêncio, a omertà das organizações criminosas, isso sim reprovável.
Registre-se que a presente condenação não traz a este julgador qualquer satisfação pessoal, pelo contrário.
É de todo lamentável que um ex-presidente da República seja condenado criminalmente, mas a causa disso são os crimes por ele praticados e a culpa não é da regular aplicação da lei. Prevalece, enfim, o ditado "não importa o quão alto você esteja, a lei ainda está acima de você" (uma adaptação livre de "be you never so high the law is above you").

LEIA MAIS:

- Juiz Sérgio Moro condena ex-presidente Lula a 9 anos e 6 meses de prisão pelo caso do tríplex

- 'A condenação de Lula é escandalosa, é um golpe continuado', dizem petistas

Momentos históricos da vida de Lula