NOTÍCIAS

'A condenação de Lula é escandalosa, é um golpe continuado', dizem petistas

Ex-presidente foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em 1ª instância.

12/07/2017 15:39 -03 | Atualizado 12/07/2017 15:44 -03
Getty Editorial
'A condenação de Lula é escandalosa, é um golpe continuado', dizem petistas

O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal do Paraná, condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à prisão por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá.

A pena será de nove anos e seis meses de prisão. Lula poderá recorrer da decisão. Mas, se for condenado em segunda instância, ele ficará inelegível para 2018. O processo demora, pelo menos, seis meses.

A condenação de Moro foi criticada por petistas nas redes sociais. Para o senador Lindbergh Farias (RJ), a condenação é "escandalosa".

"Não há provas alguma. O que querem aqui é dar um golpe continuado. Eles afastaram a presidente Dilma, e esse golpe tá desmoralizado. Temer está para cair, Cunha preso e Aecio queimado. É escandaloso, eu me impressiono com o grau de seletividade da Justiça brasileira. Quando é o PT, eles agem completamente diferente. Esse juiz Sérgio Moro estava aí tirando fotos com o Aécio [Neves[. E você viu o que aconteceu com o Aécio, né?"

O pedido de cassação do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) foi arquivado pelo senador João Alberto Souza (PMDB-MA), presidente do Conselho de Ética do Senado em 23 de junho.

O senador Lindbergh Farias ainda alega que não há provas concretas para a condenação e que é preciso "endurecer" o discurso para que Lula não seja impedido de ser candidato em 2018.

"A prova nesse caso do tríplex, o que eles têm de concreto é um bilhete de pedágio. Precisamos ser firmes e é fundamental ter reação. Esse pessoal precisa saber que uma parcela da população vai se levantar contra essa injustiça. Temos que endurecer o discurso, essa mobilização deles é para impedir o Lula de ser candidato. Eles querem transformar a eleição de 2018 em uma fraude? É isso? Isso são recados para o mercado, para o grande capital. Eles não conseguem falar com o povo. O que eles querem fazer aqui é uma pausa democrática. É dizer que não vai ter eleição. Porque não tem como se pensar em eleição sem Lula. "

No Twitter, a presidente do PT, Gleisi Hoffman (PR), também se posicionou em defesa ao ex-presidente:

Para Hoffmann, não há provas factuais no processo. "As únicas provas que têm são as provas de inocência do ex-presidente. É lamentável que um juiz de direito se preste a esse papel de fazer política", detalha.

"O presidente está absolutamente tranquilo porque sabe que é inocente. Ele [Moro] já tentou prender o Lula e sabe o trauma que é até porque ele não tem prova. Até porque ele vai criar um levante da população e de todos os petistas se ele fizer uma coisa dessas. Vai prender o Lula por quê? Qual o risco que o Lula ameaça o Brasil? Porque disse que o Moro é imparcial? E é mesmo. Isso deixa claro o papel da Lava Jato em criminalizar o Lula para que ele não concorra em 2018. O partido vai protestar nacionalmente e internacionalmente. Mostra as provas, Moro. Opinião pública não é prova."

O deputado Carlos Zarattini (SP), líder do PT na Câmara, também considera que a decisão de Moro visa ao afastamento de Lula da corrida eleitoral.

Em entrevista, ele critica o que chama de "influência política" de Moro ao tomar decisões em momentos delicados do cenário político do Brasil.

"É interessante a gente observar que o juiz Sérgio Moro resolveu divulgar a sentença condenatória do presidente Lula exatamente no dia em que se começa a debater na CCJ o afastamento do presidente golpista Temer. É uma decisão que não levou em conta as testemunhas, que não tem nenhuma prova factual de que Lula seja dono desse famoso tríplex. O que se tenta, no nosso modo de ver, é simplesmente excluir o presidente Lula, que hoje é o 1º colocado em todas as pesquisas para a Presidência da República em 2018, das próximas eleições. É na verdade uma decisão política que tem que ter o repúdio do povo brasileiro porque ela atropela a democracia, atropela todos os processos jurídicos e tudo o que a gente conhece como o devido processo legal."

Zarattini também afirma que o Partido dos Trabalhadores está se movimentando para protestar contra essa decisão.

"O PT está se organizando para fazer manifestações em todo o país. Precisamos de um amplo movimento na frente dos fóruns contra essa decisão política que foi tomada contra o presidente Lula. A rua é o mais importante agora."

LEIA MAIS:

- Caso do tríplex leva Moro a condenar Lula a 9 anos e 6 meses de prisão

- Dono da JBS mantinha 'contas-correntes' com US$ 150 milhões para Lula e Dilma

Protestos contra posse de Lula e governo Dilma