ENTRETENIMENTO

Algumas ideias do que podemos esperar da segunda temporada de 'O Conto da Aia'

Veja o que não foi coberto pelo capítulo final da primeira temporada.

11/07/2017 18:05 -03 | Atualizado 18/07/2017 14:05 -03
Hulu
De que outro modo o criador da série, Bruce Miller, vai estender o material original de Atwood?

Aviso: spoilers pela frente.

A impressão que se tem é que um livro como O Conto da Aia – uma história de interiores e com muitas cenas de flashbacks – seria difícil de adaptar para o cinema ou como minissérie, o que dirá uma série de televisão com várias temporadas. No entanto, a rede Hulu, que está pondo no ar a adaptação mais recente da distopia reprodutiva de Margaret Atwood, acaba de prometer que haverá uma segunda temporada.

Na primeira temporada ficamos conhecendo a protagonista, Offred ("De Fred"): quem ela era antes de ser capturada pelas autoridades ditatoriais de Gilead, os métodos que ela usa para conseguir continuar a ser otimista enquanto vive escravizada, como substituta sexual. Essas cenas aproveitam o texto maravilhoso de Atwood e são condizentes com o espírito do livro.

Também exploramos a vida interior de personagens coadjuvantes como Serena Joy e Nick e tivemos acesso à história passada deles. É provável que episódios futuros contenham mais dessas histórias tangenciais, mas que enriquecem a trama.

De que outro modo o criador da série, Bruce Miller, vai estender o material original de Atwood? É possível que ele e sua equipe façam uso de detalhes ainda não aproveitados no próprio Conto da Aia, como o relacionamento complicado de Offred com sua mãe, feminista da segunda onda (o período do feminismo que começou em 1960 nos Estados Unidos). Ou talvez eles nos levem a um lugar onde nenhum fã de Atwood esteve até agora: as Colônias poluídas e supostamente inabitáveis. Veja abaixo algumas possibilidades que estamos prevendo.​

Hulu

A mãe de Offred vai aparecer na série.

A mãe da heroína é personagem importante no romance de Atwood, e Offred pensa frequentemente que gostaria de colocar os pingos nos "i"s com a mulher que a criou. As duas tiveram suas divergências: a mãe de Offred era feminista de segunda onda e achava que sua filha não dava o devido valor a tudo que sua geração conquistara para ela. Esse relacionamento pode ser complicado de mostrar na telinha, especialmente depois de Elizabeth Moss ter sido criticada por seus comentários sobre a relação da série de TV com o feminismo. A mãe de Offred poderia ser vista como uma expressão dos perigos inerentes ao ativismo declarado; em algumas leituras do livro, o feminismo de segunda onda teria contribuído para a reação contra o livro. Por outro lado, o relacionamento de Offred com sua mãe pode ser uma oportunidade de mergulhar mais fundo na psique da protagonista.

Vamos conhecer as Econowives

Na adaptação da Hulu, há as aias (como Offred), as Marthas (como Rita), as Jezebéis (como Moira) e há a possibilidade de ser enviada para as Colônias. O livro traz alguns outros papéis que mulheres podem exercer, incluindo um grupo conhecido como as Econowives. Essas mulheres usam roupas listradas de cores diferentes e, como esposas de homens de escalões inferiores, elas têm que assumir as responsabilidades das aias e das Marthas: cozinhar, fazer a faxina, dar conta de outras tarefas e também servir de reprodutoras.

Faremos uma viagem às Colônias.

Quando Offred encontra Moira entre as Jezebéis numa casa onde homens de alto escalão curtem a companhia de trabalhadoras sexuais, Moira lhe conta que, depois de sua fuga do Centro Vermelho, uma escolha lhe foi oferecida: ser Jezebel ou ir para as Colônias. Tanto no livro quanto na série, fala-se nas Colônias – onde o meio ambiente profundamente poluído impossibilita a fertilidade e torna a vida quase inviável --, mas ninguém vai visitá-las. Mas Miller disse que sua adaptação vai extrapolar os limites do livro ainda mais do que já extrapolou. Faz sentido que as Colônias sejam uma das próximas escalas da história.

Alguém vai comprar uma oração de uma máquina "Soul Scroll"

Em sua visão original sobre Gilead, Margaret Atwood explorou mais plenamente a questão do capitalismo e das classes sociais em sua relação com a teocracia fictícia. As Econowives acima mencionadas fazem parte disso: seu status é distinto do das aias e da Jezebéis. Mas também há pequenos detalhes que ressaltam a correlação entre dinheiro, fé e poder em Gilead. Orações, por exemplo, podem ser compradas de uma máquina chamada Soul Scroll, que lembra um caixa eletrônico. Ver esses detalhes na série de televisão pode deixar ainda mais claros os detalhes específicos da distopia criada por Atwood.

Offred vai mergulhar mais fundo em sua relação com Nick, enquanto se esforça para não perder suas recordações de Luke.

Como vimos na primeira temporada, a série da Hulu pretende aproveitar o material fornecido pelo livro sobre um triângulo amoroso. No livro, não sabemos se Luke está vivo, porque a história é sempre contada pela visão de Offred. Na série, sabemos que Luke provavelmente vai tentar entrar em contato com ela outra vez. Sabemos também que a filha deles, tirada dos pais após a ascensão de Gilead, sobreviveu. Outra coisa que sabemos é que Offred tem sentimentos ambíguos sobre seu relacionamento romântico com Nick, membro da polícia secreta conhecida como os Olhos e provável pai do filho de quem ela está grávida agora.

O impacto da poluição ambiental sobre a fertilidade masculina será discutido mais diretamente.

Sabemos que a culpa pela infertilidade foi jogada inteiramente sobre as mulheres de Gilead, embora homens como o Comandante, o Fred de nossa Offred, provavelmente são estéreis pela idade, devido a fatores ambientais ou pelas duas coisas. Na primeira temporada Offred faz um aparte, comentando sobre a esterilidade e como essa palavra nunca é mencionada em sua nova vida. É possível que o impacto da esterilidade masculina no declínio agudo do número de gestações e partos venha a tornar-se um elemento da trama nas próximas temporadas.

Teremos uma visão ainda mais ampla das tentativas de intervenção feitas por outros países.

No livro, turistas japonesas fazem fotos das aias enquanto elas próprias usam sandálias que deixam os dedos dos pés à mostra e outros trajes que as Tias considerariam indecentes. Na série, Offred sente esperança com a visita do embaixador do México, mas essa esperança depois acaba. E, no episódio final, ficamos sabendo que Moira conseguiu escapar para o Canadá e reencontrou Luke. Os dois com certeza vão tentar resgatar Offred. Nesse processo, é provável que fiquemos sabendo algo sobre o mundo que existe fora de Gilead.

A insatisfação crescente de Serena Joy chegará a um clímax.

No episódio final da temporada, Serena Joy questiona Fred sobre suas saídas com Offred, se oferece para jogar Palavras Cruzadas com ele e sugere que está sabendo dos flertes dele com a aia deles. Mas seu marido rejeita a oferta, dizendo a Serena que ela conhece as regras (sobre a leitura por mulheres, mesmo que seja a leitura de algo tão simples quanto letras sobre bloquinhos de madeira). Serena Joy responde rispidamente que ela ajudou a redigir as regras. Agora que os resultados de seus ideais não estão se mostrando, na prática, tão propícios à família quanto ela esperava, Serena Joy com certeza vai tomar alguma medida.

Vamos finalmente ficar sabendo mais sobre Mayday.

O episódio final da temporada termina do mesmo modo que o livro: Offred ingressa nas trevas, ou então na luz. Não ficamos sabendo ao certo se a van preta que a buscou é da resistência, conhecida como Mayday, ou da polícia secreta Olhos, mas o envolvimento de Nick e o fato de ele ser um personagem do bem na série sugerem que ela esteja indo para um lugar de segurança. Teremos que esperar para saber para onde ela vai.

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Por que todo mundo está falando sobre 'O Conto da Aia'?

- 'The Handmaid's Tale' é inequivocamente uma história de, para e sobre mulheres

18 livros para entender mais sobre feminismo e direitos das mulheres