POLÍTICA

De olho em 2018, ministros priorizam viagens a estados onde querem se candidatar

Dos 24 titulares da Esplanada dos Ministérios, 12 são deputados federais licenciados e outros dois deixaram o Senado para se dedicar ao Executivo.

24/07/2017 08:27 -03 | Atualizado 24/07/2017 08:36 -03
Montagem / Agência Brasil
Ministros Leonardo Picciani (Esporte), Mendonça Filho (Educação), Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia) e Bruno Araújo (Cidades) viajam para seus estados.

De olho nas eleições de 2018, ministros do governo de Michel Temer têm priorizados viagens a estados onde têm intenção de se candidatar. Dos 24 titulares da Esplanada dos Ministérios, 12 são deputados federais licenciados e outros dois deixaram os mandatos no Senado para se dedicar ao Executivo.

Levantamento feito pelo HuffPost Brasil com base nas informações públicas da agenda de nove ministros mostra concentração de viagens e de compromissos nos estados em que há interesse nos votos da população. Os pré-candidatos priorizam reuniões com lideranças locais ou eventos que não têm relação direta com a atividade da pasta.

Com intenção de concorrer ao governo de Pernambuco, o deputado federal licenciado e ministro de Cidades, Bruno Araújo (PSDB), foi a 21 compromissos no estado em um ano, entre julho de 2016 e junho de 2017, de acordo com sua agenda pública.

Ele também acompanhou o presidente Michel Temer em três viagens a municípios pernambucanos. Em 9 de dezembro, o tucano esteve com o peemedebista na Inspeção e Assinatura de Atos na Barragem de Jucazinho, em Surubim. No mesmo dia, os dois visitaram uma estação de bombeamento em Floresta. A viagem incluiu ainda compromisso no Banco do Nordeste, em Fortaleza (CE).

Em 30 de janeiro, a dupla inaugurou a estação em Floresta e participou da cerimônia de inauguração do novo Campus de Serra Talhada do Instituto Federal do Sertão Pernambucano. Em 10 de março, foi a vez da entrega de obras de integração do rio São Francisco em Sertânia. A viagem incluiu também compromisso em Campina Grande (PB).

Bruno Araújo trabalhou ainda quatro dias na unidade do Ministério das Cidades em Recife. Em um deles, recebeu parlamentares e lideranças locais. O tucano também trabalhou por três dias no prédio da pasta na cidade de São Paulo e teve 32 compromissos em estados além de Pernambuco.

Em 2014, o tucano ficou em sétimo lugar entre os deputados federais eleitos com mais votos no estado e conquistou a reeleição. Ele teve o apoio de 131.768 eleitores.

Outro possível concorrente na disputa pelo Executivo pernambucano, Mendonça Filho (DEM), ministro da Educação, teve 46 compromissos no estado entre julho de 2016 e junho de 2017, além de ter trabalhado seis dias no ministério em Recife. Assim como o titular de Cidades, o democrata acompanhou a viagem de Temer no dia 30 de novembro.

Em 27 de janeiro, o ministro participou de jantar com membros da Aeronáutica. Já em 12 de setembro, proferiu palestra na 2ª Reunião Ordinária Semestral do Conselho Estratégico Algomais Pernambuco Desafiador.

Neste período, o ministro teve 46 compromissos em outros estados e foi a duas viagens internacionais. Ele também acompanhou uma viagem do presidente a Paraíba e despachou do prédio do MEC em São Paulo em um dia.

Se não concorrer ao governo, o democrata deve tentar uma vaga no Senado. Nas últimas eleições, Mendonça foi reeleito com 88.250 votos e ficou em 21º lugar entre os mais votados para deputado federal no estado.

Terceiro pré-candidato ao Palácio do Campo das Princesas, Fernando Coelho Filho (PSB), ministro de Minas e Energia, participou de 11 compromissos em Pernambuco entre julho de 2016 e junho de 2017, além de ter acompanhado o presidente Temer nas duas viagens ao estado neste período.

Nos últimos 12 meses, o ministro registrou 41 compromissos em outros estados e participou de 10 viagens internacionais.

Apesar de o PSB ter deixado a base, Fernando Filho segue à frente da pasta. Em 2014, ele se reelegeu com 112.684 votos, ficando como 11º deputado federal mais votado no estado.

Titular do Ministério dos Esportes durante os jogos olímpicos no Brasil, Leonardo Picciani (PMDB) teve compromissos no Rio de Janeiro em 108 dias entre julho do ano passado e junho deste ano, além de ter trabalhado no prédio da pasta no Rio em 34 dias.

Em 2 de dezembro, por exemplo, visou a Base Aérea dos Afonsos, no Rio, para conhecer as ações da Força Aérea Brasileira ao combate ao mosquisto da dengue.

No mesmo período, ele registrou compromissos em outros estados em 19 dias e participou de cinco viagens internacionais.

Em 2014, Picciani foi o quinto deputado federal com mais votos no Rio e se reelegeu com apoio de 180.741 eleitores. No ano que vem, o peemedebista estuda lançar uma candidatura ao Senado.

À frente do Ministério da Integração, Helder Barbalho (PMDB) registrou 52 dias de compromissos no Pará de julho de 2016 a julho de 2017. Na agenda há também sete viagens ao estado sem detalhar as atividades e 9 dias de despachos internos na sede da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (SUDAM), em Belém.

Em 20 de janeiro, participou das comemorações dos 158 anos de emancipação política do município de Soure, da Festa de São Sebastião em Cachoeira do Arari e em Igarapé-Miri e teve um encontro com o prefeito e sociedade local em Abaetetuba. Já em 10 de junho, foi às festividades do aniversário do município de Tucumã.

No mesmo período, o peemedebista teve compromissos em outros estados em 37 dias, além de ter acompanhado Temer nas três viagens do presidente ao Nordeste. Constam ainda duas viagens a São Paulo sem detalhes de agenda.

Em 2018, Helder Barbalho planeja se eleger governador do Pará. Nas últimas eleições, ele foi derrotado pelo tucano Simão Jatene, que conquistou a reeleição.

Ministro de Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab (PSD) estuda concorrer ao governo de São Paulo ou disputar uma vaga ao Senado pelo estado.

Em 2014, ele ficou em terceiro lugar entre os candidatos paulistas ao mandato de senador, com 6% do eleitorado (1.128.582 votos) e perdeu a disputa para José Serra (PSDB-SP).

Nos últimos 12 meses, Kassab teve 60 compromissos em São Paulo, além de ter trabalhado no prédio da pasta na capital paulista em 21 dias e um dia no edifício da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), na capital paulista.

Em 20 de março, por exemplo, ele participou de uma reunião de ex-prefeitos de São Paulo com prefeito atual da cidade, João Dória, na capital paulista. No mesmo mês, ele se encontrou uma outra vez com o tucano. Em 2 de dezembro, Kassab participou de um ato no estado na campanha de mobilização contra o mosquito Aedes Aegypti.

No mesmo período, ele registrou 39 dias de compromissos em outros estados e participou de uma viagem internacional.

Pré-candidato ao Senado em 2018, Sarney Filho (PV), ministro do Meio Ambiente, registrou 15 viagens para o Maranhão de julho de 2016 a junho de 2017.

No mesmo período, ele participou de 20 viagens para outros estados e de cinco viagens internacionais.

Em 2014, o filho do ex-presidente José Sarney foi eleito com 91.669 votos, ficando em quinto lugar no estado na disputa por uma vaga na Câmara dos Deputados.

Deputado federal licenciado, Maurício Quintella Lessa (PR) quer tentar uma reeleição em 2018 ou disputar o Senado. Nos últimos 12 meses, o titular do Ministério dos Transportes registrou compromissos em Alagoas em 3 dias. Em outros 12 dias, ele viajou para o estado, mas sem detalhar a agenda.

No mesmo período, o ministro foi a 20 compromissos em outros estados e registrou 15 viagens a outras unidades da Federação sem detalhes de agenda. Ele participou de 15 viagens internacionais.

Em 2014, Quintella se reelegeu com 76.706 votos. Ele ficou em sétimo lugar na disputa no estado para o cargo de deputado federal.

Titular do ministério de Relações Exteriores desde fevereiro, o tucano Aloysio Nunes, fez nove viagens ao estado de São Paulo desde que se tornou ministro.

Em 24 de março, por exemplo, acompanhou Temer em cerimônia de entrega de 1.300 unidades habitacionais do Parque Residencial da Solidariedade do Programa Minha Casa Minha Vida.

No mesmo período, não foram registrados compromissos em outros estados e ele participou de viagens a 14 países, sendo duas vezes para Argentina.

O tucano foi eleito para o Senado Federal em 2011, com 30,42% do eleitorado paulistano ou 11.189.168 votos. Ele estuda tentar uma reeleição para o próximo ano ou disputar o governo de São Paulo.

Outro lado

O Ministério das Cidades afirmou que as viagens do ministro Bruno Araújo fazem parte de agendas previamente definidas, destinadas a compromissos oficiais e que a Unidade Descentralizada do Ministério das Cidades, para região Norte e Nordeste, fica localizada em Recife (PE).

Em nota, o Ministério da Educação afirmou que o ministro Mendonça Filho é pernambucano, tem residência permanente no Estado de origem e que, de acordo com o Decreto 4244 de 2002 tem direito a retornar para sua cidade em voo comercial. A pasta destaca que o decreto permite ainda o uso de avião da FAB em caso de viagens de serviço, emergência médica ou por segurança.

"As agendas do ministro em Pernambuco, como liberação de recursos para universidades e institutos federais, inaugurações, debates, visitas, etc estão de acordo com as agendas cumpridas em todos os estados. Pelo princípio da economicidade, o MEC optou por priorizar as agendas às sextas e segundas, evitando viagens dobradas", afirmou a pasta.

O Ministério de Ciência e Tecnologia afirmou que os deslocamentos do ministro Gilberto Kassab para São Paulo ocorreram para diferentes agendas relacionadas à pasta, como encontros no escritório regional do ministério localizado na capital paulista, vistoria em obras e atividades com a comunidade científica.

De acordo com a assessoria da pasta, a maior concentração de recursos do orçamento anual do ministério está no estado de São Paulo e "não há relação entre essas agendas e uma possível candidatura".

O Ministério da Integração Nacional afirmou que cabe à pasta "promover o desenvolvimento das regiões menos favorecidas do País de forma a minimizar os efeitos das desigualdades sociais, além de atuar com auxílio em casos de desastres naturais".

De acordo com a pasta, o Pará ficou em 25º lugar no ranking doS índices de Desenvolvimento Humano (IDHs) do Brasil e nos estados do Norte os altos índices pluviométricos causam chuvas intensas e cheias nos rios com consequentes enxurradas," o que requer a atuação do Ministério da Integração Nacional com ações emergenciais".

Ainda segundo o ministério, no Pará estão 30 das 80 cidades com reconhecimento federal vigente, o que permite que os municípios solicitem apoio do governo federal.

O Ministério do Esporte destacou que desde 2012 a pasta mantém escritório de representação no Rio de Janeiro, "justamente por conta da importância da cidade para o esporte nacional, tendo sediado finais da Copa das Confederações 2013, Copa do Mundo 2014, além dos Jogos. Tanto a realização das olimpíadas/paralimpíadas".

No Rio também estão sediadas a Autoridade Pública de Governança do Futebol (APFut) e a Autoridade de Governança do Legado Olímpico (AGLO), ambas vinculadas ao ministério. Além disso, em dezembro, a pasta assumiu o Parque Olímpico da Barra.

De acordo com a pasta, "o ministro mantém residência no Rio de Janeiro e, portanto, não recebe diárias quando está na cidade, de onde despacha normalmente. O ministro abriu mão, inclusive, de receber diárias em viagens a quaisquer outros destinos do território nacional."

O Ministério do Meio ambiente afirmou que os "números refletem a realidade de trabalho e atendem às necessidades da pasta".

Os demais ministérios não responderam até a publicação desta reportagem.

Os ministros de Temer que caíram

LEIA MAIS:

- Mais uma vez, MEC cede à bancada religiosa em questões de gênero

- Satélite brasileiro para melhorar internet não garante que acesso será ampliado