NOTÍCIAS

Justiça determina que ex-médico Roger Abdelmassih volte para a cadeia

Ex-médico residia até hoje em apartamento no bairro de Pinheiros, zona oeste de São Paulo.

01/07/2017 12:36 -03 | Atualizado 01/07/2017 12:50 -03
Handout . / Reuters
O momento da primeira prisão de Roger Abdelmassih em Assunção, no Paraguai, em 2014.

Com HuffPost Brasil

Nove dias depois de ter recebido autorização para cumprir pena em prisão domiciliar, o ex-médico Roger Abdelmassih, de 74 anos, terá de retornar à Penitenciária de Tremembé, em São Paulo, por determinação da Justiça, que acolheu pedido do Ministério Público do Estado de São Paulo.

Condenado a 181 anos de prisão por 48 estupros de 37 pacientes, Abdelmassih tinha conseguido, no último dia 21, o relaxamento do regime fechado por recurso movido junto à 1ª Vara das Execuções Criminais de Taubaté, alegando motivo de saúde.

A decisão foi derrubada pelo desembargador José Raul Gavião de Almeida, da 6ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, que concedeu liminar com base no pedido do promotor de Justiça Luiz Marcelo Negrini de Oliveira Mattos.

Em seu despacho, o desembargador destacou que, apesar de ser atestado que o ex-médico" é portador de doença coronariana grave com recomendação de tratamento clínico", isso não o impede de voltar à prisão porque o sistema prisional conta com hospital.

Segundo o magistrado, "há notícias de que médicos internados no presídio relataram que Roger Abdelmassih deixou propositadamente, de medicar-se, a tornar duvidosa a criação de situação ensejadora de seu afastamento do cárcere".

Comemoração

Na noite desta sexta, Vanuzia Leite Lopes, criadora da associação de vítimas de Abdelmassih, Somos Todas Vítimas Unidas, usou seu perfil no Instagram para comemorar a decisão.

Ele voltou para a cadeia e as vítimas voltam para sua vida normal. Feliz e livre de novo com o monstro estuprador Roger Abdelmassih voltando para a cadeia", escreveu.

Assista ao vídeo compartilhado:

LEIA MAIS:

- Uma conversa entre uma vítima de estupro e seu agressor sobre masculinidade tóxica

- O Brasil está a poucos passos de tornar o estupro um crime imprescritível

Famosas contra cultura do estupro e violência doméstica