MULHERES

Jamille Edaes é negra e foi acusada de sequestrar a própria filha

A mulher estava viajando com a pequena Manu e, por conta da cor de sua pele, foi acusada de estar sequestrando a menina.

29/06/2017 11:43 -03 | Atualizado 29/06/2017 13:03 -03
Reprodução
Jamille Edaes é negra e foi acusada de sequestrar a própria filha.

Jamille Edaes é mãe da pequena Manuela. Olhos, nariz, sorriso e o carinho não deixam dúvidas. Mas entre mãe e filha, há algo muito forte que quase foi capaz de separá-las: a cor da pele.

Na última segunda-feira (26), Jamille estava viajando de ônibus com destino a Belo Horizonte.

Ela havia passado o final de semana em São Paulo e estava retornando para sua casa. Em uma das paradas, resolveu sair do ônibus para ir ao banheiro com sua filha.

Na saída do lavatório uma mulher desconhecida deu a mão à menina e começou a brincar com ela. Jamille tratou com normalidade a situação.

Mas, na saída do banheiro, a desconhecida continuou segurando Manuela e quando Jamille tentou pegar a filha de volta, a mulher começou a gritar alegando que Jamille estava sequestrando a menina.

Dai em diante, a mineira sentiu na pele do que o racismo é capaz. A desconhecida utilizou uma certidão de nascimento falsa e o argumento da cor da pele da criança para justificar que Jamille estava tentando sequestrá-la.

Todos os presentes deram razão à ela, inclusive os outros passageiros do ônibus, que já haviam visto a menina com Jamille durante todo o percurso.

A agonia vivida por Jamille foi relatada em seu Facebook, em um post que viralizou.

"Como assim eu ter que provar que minha filha é minha filha? Fiquei desesperada sem saber o que fazer. Vi meu mundo cair, pegaram a minha filha do meu colo e entregaram a ela. Vi ela andando em direção ao carro com a minha filha no colo. Minha filha não é minha filha porque eu sou negra????? O pai dela é branco e ela realmente se parece mais com ele que comigo. Me seguraram, quiseram me bater, falaram que eu estava sequestrando uma criança."

Após a confusão, Jamille finalmente conseguiu ter acesso a sua bolsa, em que guardava os documentos da pequena Manuela.

Mostrou, ainda, fotos no Facebook para comprovar a sua gravidez. Também, mostrou fotos do pai, com quem Manuela divide a semelhança da cor da pele mais clara.

Nesta quinta (29), Jamille foi uma das convidadas do programa Encontro, apresentado por Fátima Bernardes.

Acompanhada de seu marido, o casal relatou que o racismo velado é constante quando mãe e filha estão juntas.

Ainda, acrescentou que quando o pai está presente, as situações constrangedoras não acontecem.

"Eu vim embora com uma sensação horrível, de que isso ainda vai acontecer muitas e muitas vezes e por causa do racismo e preconceito quase eu perco a minha filha", declarou Jamille.

LEIA MAIS:

- 7 filmes da Netflix para você pensar no quão destruidor o racismo pode ser

- Meu filho foi vítima de racismo no Shopping Higienópolis, acusa jornalista

- O racismo nosso de cada dia e a situação da mulher negra brasileira

25 selfies que mandam a real sobre a maternidade