LGBT

Anitta na Parada LGBT de São Paulo: 'A gente tem que ser livre para ser o que quiser'

Cantora não fez show, mas marcou presença em um dos trio elétricos do evento que acontece neste domingo (18), em São Paulo.

18/06/2017 16:55 -03 | Atualizado 18/06/2017 17:21 -03

Anitta não fez um show na Parada LGBT neste domingo (18), como anunciado anteriormente, mas subiu no trio elétrico, deu uma palhinha e levou o público à loucura quando começou a tocar Paradinha, seu mais novo sucesso:

E aproveitou também para dar um recado:

"Onde quer que eu for, onde quer que seja o País que eu esteja, eu vou arrastar a bandeira de que a gente tem que ser livre para ser o que a gente quiser ser"

Com o lema "Independente de nossas crenças, nenhuma religião é lei. Todas e todos por um Estado laico", a 21ª Parada do Orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros), leva cerca de 3 milhões de pessoas para a Avenida Paulista, em São Paulo.

Em entrevista à GloboNews, Anitta ainda reafirmou:

"Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Suas crenças religiosas não têm a ver com a sua orientação sexual. Acho importante que todos aprendam a respeitar as diferenças do outro e a liberdade das pessoas"

Mas não foi só Anitta que deixou sua marca, não.

A apresentadora e modelo Fernanda Lima, que é madrinha do evento deste ano, afirmou em seu discurso de abertura que "o Brasil ainda sofre muito com a violência, a discriminação, e a homofobia" e que a "a parada traz entusiasmo" para lutar ainda mais por direitos.

Ela ainda defendeu a não interferência da religião em assuntos que misturam outros direitos.

"Religião é religião, direitos dos cidadãos são muito diferentes, não podem estar atrelados a qualquer religião, que é algo pessoal"

Além de Anitta e Fernanda, Daniela Mercury, "A Rainha do Axé" e uma das grandes defensoras da causa LGBT fez um show no evento e disse, em seu Twitter:

Daniela ainda foi ovacionada quando deu um beijo em cima do trio em sua esposa, Malu Verçosa.

No total, 19 trios elétricos desfilam e espalham o colorido da diversidade em trajeto que começou na Avenida Paulista e desceu pela Rua da Consolação, chegando ao Vale do Anhangabaú.

#paradalgbt2017 #empoderamentogay #SAPA #danielamercury #rainhadoaxe #skol

A post shared by Daniela Mercury (@danielamercury) on

Leandra Leal ao lado de Fafá de Belém, Rogéria e Silvério Pereira também levou o trio elétrico de seu documentário Divinas Divas, que estreia no próximo dia 22, para a Parada LGBT:

Amadas #DivinasDivas na #ParadaSP.

A post shared by Leandra Leal (@leandraleal) on

De acordo com informações do G1, a Prefeitura de São Paulo estimou que 20% do público da Parada é composto por turistas. Segundo a administração, cerca de 600 mil pessoas de outras cidades, estados e até países comparecem ao evento e movimentam a economia da cidade em aproximadamente R$ 45 milhões.

LEIA MAIS:

- 7 fatos que tornam a 'Parada do Orgulho LGBT de São Paulo' a melhor do mundo

- Por que termos um Estado Laico é importante para LGBTs e religiosos (e ambos devem ter representatividade)

10 momentos históricos da luta LGBT

ETC:LGBT