MULHERES

Julgamento de Bill Cosby é anulado por falta de veredito

Andrea Constand e mais outras 45 mulheres acusam o comediante de abuso sexual.

17/06/2017 13:48 -03 | Atualizado 17/06/2017 13:51 -03
AFP/Getty Images
Caso Cosby seja condenado, ele pode enfrentar uma pena de ao menos 10 anos de prisão e uma multa de US$ 25 mil.

O processo contra o astro de TV norte-americano Bill Cosby foi anulado neste sábado (17) depois que os jurados se declararam incapazes de chegar a um veredito, após mais de 50 horas de deliberações.

Com a decisão, a promotoria precisará analisar se irá pedir um novo julgamento. O fato representa uma vitória para o comediante de 79 anos, acusado de agredir sexualmente Andrea Constand, ex-diretora de operações de uma equipe feminina de basquete da Universidade Temple, há 13 anos, em sua mansão dos arredores da Filadélfia. O promotor do condado de Montgomery, Kevin Steele, que havia acusado o ator, indicou imediatamente que solicitaria a abertura de um novo processo, como autoriza a lei. Por sua vez, o comediante não fez nenhuma declaração após a anulação do processo. O artista, que se tornou uma celebridade ao protagonizar a série de TV The Cosby Show (1984-1992) permanece em liberdade condicional, segundo o juiz Steven O'Neill.

Cosby foi acusado de abuso sexual por mais de 50 mulheres nos últimos anos. Porém, a canadense é a única delas cujo caso ainda não prescreveu. As outras acusações foram feitas fora do prazo para que o astro pudesse ser processado.

No entanto, a vítima de 44 anos apresentou incoerências em diversas declarações, destacadas com insistência pela defesa. O ator reconheceu que teve contato com a jovem, mas afirmou que se foi consensual.

Caso Cosby seja condenado, ele pode enfrentar uma pena de ao menos 10 anos de prisão e uma multa de US$ 25 mil.

Leia mais notícias em ANSA

LEIA MAIS:

- As mulheres que acusaram Cosby de estupro estão lutando por mudanças na lei dos EUA

- Bill Cosby fez piada sobre estupro em livro de 1999

Opiniões chocantes sobre estupro