NOTÍCIAS

Silvio Santos chama Doria de 'boyzinho' e sugere chapa com Bolsonaro para 2018

O apresentador do SBT também confessou que quase se tornou político por "vaidade".

15/06/2017 17:26 -03 | Atualizado 16/06/2017 16:15 -03
Montagem/Divulgação/Agência Brasil
"Se fizer uma chapa Joaquim Barbosa e Sérgio Moro, aí você vai ter que arranjar alguém na sua chapa para poder [vencer]", disse Silvio Santos

O apresentador e dono do SBT, Silvio Santos, entrevistou o prefeito de São Paulo, João Doria, no quadro "Silvio Santos recebe", que será exibido no próximo domingo (18), a partir das 20h no canal.

Em um bate-papo descontraído, Silvio confessou que já quis concorrer à presidência da República por pura "vaidade" e sugeriu a Doria a formação de uma chapa com o deputado Jair Bolsonaro para a corrida presidencial em 2018.

Apesar de o tucano já ter negado sua candidatura, o apresentador insistiu em um cenário — bastante remoto — no qual o ex-ministro Joaquim Barbosa se uniria ao juiz Sérgio Moro para formar uma chapa em 2018.

"Se fizer uma chapa Joaquim Barbosa e Sérgio Moro, aí você vai ter que arranjar alguém na sua chapa para poder [vencer]", disse Silvio Santos, informou a Folha, que teve acesso à conversa. "Tem o [jair] Bolsonaro, quem sabe você e o Bolsonaro. Não sei, mas aí a disputa vai ser difícil."

Ainda especulando sobre essa corrida presidencial (pouco provável), Silvio diz que Doria ganharia de Joaquim Barbosa, mas seria mais difícil ganhar de Moro. "Se você se candidatar atualmente, presidente. Quem diria, não? Presidente da República com cara de boyzinho, aí, cara de 20 anos", acrescentou, rindo.

Desconversando das ideias de Silvio, o tucano reafirmou que não vai disputar a vaga do PSDB com seu padrinho político, o governador Geraldo Alckmin, que já demonstrou interesse em ser o candidato do PSDB à Presidência.

"Devo um agradecimento muito especial a Alckmin. (...) A minha relação com ele é a melhor possível e de muita estima, por isso que eu fiz a citação dele inclusive", disse.

'Vaidade'

Ao questionar o motivo pelo qual Doria decidiu disputar a prefeitura de São Paulo, Silvio revelou que decidiu concorrer à Presidência em 1989 por pura vaidade. "Eu quase fui [político]. A vaidade toma conta da gente".

Doria defendeu o apresentador, dizendo que não era vaidade, mas uma "necessidade" e que Silvio tinha muita experiência.

"Ok, está certo", respondeu. "Para mim, no caso, seria uma vaidade porque o que é que falta para mim? Falta realmente ser prefeito, ou falta ser governador, ou falta ser presidente, porque o resto, felizmente, com a sorte que eu tenho, eu tenho tudo. Mas ok, quando falaram comigo sobre política mexeu na minha vaidade e eu quis tentar, mas não deu certo, foi até bom."

LEIA MAIS:

- 'Acabou o shopping center', diz Doria após nova ação policial na Cracolândia

Os livros prediletos de João Doria (PSDB)