ENTRETENIMENTO

Uma coleção de filmes raros dirigidos por cineastas negros acaba de chegar à Netflix

Produções foram realizadas entre os anos de 1915 e 1946.

02/06/2017 13:09 -03 | Atualizado 04/06/2017 16:43 -03

Um sujeito formado em Harvard está de volta à pequena cidade em que nasceu para abrir uma escola, mas o racismo e um grande amor atrapalham seus planos.

Numa boate do Harlem, uma mulher recebe um misterioso bilhete dizendo que ela tem apenas 10 minutos de vida. O aviso está ligada a uma assassinato ocorrido anos antes.

E um lugar desconhecido, pescadores embarcam em um trem conduzido por Satanás com destino ao inferno. Alguns deles se arrependem e abandonam o veículo.

Divulgação
Cena de 'Dirty Gertie do Harlem' (1946), dirigido por Spencer Williams.

As três sinopses acima são, respectivamente, dos filmes Direito Inato, Dez Minutos de Vida e Trem Para o Inferno, que integram a coleção Pioneiros Afro-Americanos do Cinema, que a Netflix acaba de disponibilizar no catálogo brasileiro.

Lançada em 2015 em DVD pela distribuidora Kino Lorber, a coleção reúne 20 filmes raros realizados por diretores negros, pioneiros do cinema, entre os anos de 1915 e 1946. Há longas, médias e curtas-metragens.

Entre dramas, filmes de fantasia, comédia e mistério, a seleção traz obras de Oscar Micheaux, Spencer Williams, Richard E. Norman, entre outros nomes que retrataram questões relacionadas à identidade negra nos EUA sob diferentes óticas e estilos.

Para assistir às produções, basta clicar aqui.

E por falar em filmes dirigidos por cineastas negros, a Netflix também adicionou ao seu catálogo no Brasil o drama Moonlight – Sob a Luz do Luar, do diretor Barry Jenkins, que venceu o Oscar de Melhor filme este ano.

Sensível e esteticamente impecável, a trama acompanha a trajetória de dor e descobertas do jovem Chiron em três importantes fases de sua vida.

Leia aqui resenha publicada no HuffPost Brasil quando o filme foi lançado nos cinemas.

Assista ao trailer:

LEIA MAIS:

- 6 verdades surpreendentes sobre a visão de negros e brancos em relação à igualdade racial

- Solange Couto: '37 personagens. 25 empregadas. 7 não estereotipadas'

8 negros icônicos e a influência de Muhammad Ali