LGBT

O Google criou um lindo Doodle para homenagear Gilbert Baker, criador da bandeira do orgulho LGBT

Artista e ativista completaria 66 anos nesta sexta-feira (2).

02/06/2017 11:36 -03 | Atualizado 02/06/2017 12:01 -03

O doodle desta sexta-feira (2) homenageia o artista e ativista Gilbert Baker, que completaria 66 anos anos nesta data. Ele foi o criador da bandeira do arco-íris, um dos principais símbolos do orgulho LGBT em todo o mundo.

Nascido em 1951 na cidade de Chanute, nos EUA, Baker entrou no exército quando tinha 19 anos e logo foi enviado para São Francisco, na Califórnia, numa época em que luta de minorias políticas por equidade de direitos estava em ebulição.

Ele abandonou o exército dois anos depois, mas permaneceu em São Francisco, onde aprendeu a costurar e começou a criar cartazes para as manifestações anti-guerra e a favor da comunidade LGBT. Nessa época, conheceu o político e ativista Harvey Milk, com quem teve uma grande amizade.

Em 1978, o artista recebeu de Milk a tarefa de fazer um desenho que representasse a comunidade que iria para a rua no Dia de Liberdade Gay de San Francisco, evento precursor da parada de orgulho LGBT que ocorre atualmente.

Baker costurou na posição horizontal oito faixas de tecidos que havia tingido, criando assim a bandeira do arco-íris. Na primeira criação, cada cor tinha um significado específico:

Rosa - sexualidade; vermelho - vida; laranja - cura; amarelo - luz do sol; verde - natureza; turquesa - mágica/arte; anil - harmonia/serenidade; violeta - espírito humano.

Sua maior inspiração para o símbolo foi a canção Over the Rainbow, conhecida na voz de Judy Garland.

Após o assassinato de Milk, em novembro daquele mesmo ano, a bandeira se popularizou, tornando-se um forte símbolo de luta da comunidade LGBT.

Com o passar do tempo, ela sofreu alterações. A que conhecemos hoje, prestes a completar 40 anos, possui seis faixas (rosa e anil foram retiradas). No famoso desfile de São Francisco, metade das cores é colada de um lado da rua e a outra metade do outro.

Em 2015, o MoMa (o Museu de Arte Moderna de Nova York) adquiriu a bandeira original para a sua coleção de obras. A instituição classificou a peça como "poderoso marco histórico do design". Em entrevista ao museu na ocasião, Baker falou sobre sua criação:

"Decidi que tínhamos de ter uma bandeira, que uma bandeira nos encaixasse em um símbolo, o de que somos pessoas, uma tribo. E as bandeiras são sobre proclamar poder, então é muito apropriado."

Gilbert Baker faleceu no último dia 31 de março enquanto dormia em sua casa, em Nova York.

LEIA MAIS:

- Algumas pessoas não gostaram da nova campanha da Reserva para o Dia dos Namorados. E a marca respondeu à altura

- A 1ª vez que um marido de chefe de Estado posa ao lado de primeiras-damas em foto oficial da OTAN

10 gays assumidos que já ganharam Osc