POLÍTICA

Maluf é condenado pelo STF a mais de 7 anos de prisão e à perda do mandato

Crime ocorreu entre 1993 e 1996, mas só foi julgado agora. Decisão ainda cabe recurso.

23/05/2017 18:05 -03 | Atualizado 23/05/2017 18:09 -03
Montagem/Câmara/Reprodução/Twitter

Paulo Maluf (PP-SP) está prestes a perder o mandato de deputado federal. Decisão da primeira turma do Supremo Tribunal Federal determinou nesta terça-feira (23) a perda de mandato do parlamentar. Ele foi condenado pelo crime de lavagem dinheiro. Além de perder o cargo, a pena é de 7 anos e 10 dias de regime fechado.

O deputado não perde o mandato imediatamente porque ainda cabe recurso. Em nota, a defesa afirmou que vai esperar a publicação do acordão pois o julgamento não foi unanime. "Tivemos um voto favorável na preliminar, pois o Ministro Marco Aurélio entendeu que deveria ter tido o laudo pericial, e um voto favorável no mérito que absolvia o Deputado", diz trecho da nota.

O advogado de Maluf, Carlos Kakay acrescenta que continua acreditando na teses que defendeu na turma e as levara ao Pleno em Embargos Infringentes assim que for publicado o acordão. "O Deputado segue confiando na Justiça e aguardando a decisão final do Plenário do Supremo", finaliza a nota.

O voto favorável à condenação é de autoria do relator do caso, ministro Edson Fachin. Os ministros Luís Roberto Barroso, Rosa Weber e Luiz Fux acompanharam o relator. Apenas Marco Aurélio Mello foi favorável à absolvição. Ele argumenta que o crime já prescreveu.

Maluf é acusado pelo Ministério Público Federal de ter usado contas no exterior para lavar dinheiro desviado da Prefeitura de São Paulo no período em que foi prefeito, entre 1993 e 1996.

A demora do STF para julgar o caso gerou insatisfação nas redes sociais.

Mas teve quem lembrou que nada como o tempo para "mostrar as verdades".

LEIA MAIS:

- 'SP é o oásis de honestidade', diz Maluf ao 'lançar' Alckmin para Presidência em 2018

- Condenado na França e procurado pela Interpol, Maluf segue desresponsabilizado no Brasil