VOZES

'Okja', de Bong Joon Ho, abre o terceiro dia do Festival de Cannes

Filme fala sobre a amizade entre uma menina e um porco gigante e os diferentes poderes que atuam sobre a relação.

19/05/2017 20:36 -03 | Atualizado 19/05/2017 22:53 -03

A escritora está cobrindo o Festival de Cannes para o HuffPost Brasil.

Com elenco estrelado - Tilda Swinton, Jake Gylenhaal, Paul Dano e Lilly Collins ao lado da estreante atriz sul-coreana Ahn Seo-hyn, o filme fala sobre a amizade entre uma menina e um porco gigante e os diferentes poderes que atuam sobre a relação: de um lado, a corporação capitalista Mirando, que quer usar a carne de Okja para alimentar milhares de pessoas ao redor do mundo, e de outro, os ativistas pelos animais.

Na exibição exclusiva para jornalistas na manhã desta sexta-feira (19), o logo do Netflix foi vaiado e a projeção interrompida devido a problemas técnicos. Na coletiva de imprensa que aconteceu logo depois da sessão, o diretor Bong Joon Ho afirmou: "Pensem pelo lado positivo. Vocês puderam assistir à sequência inicial duas vezes".

Polêmica Netflix x Júri do Festival

O bom humor predominou nas declarações ao longo de todo o encontro. A polêmica envolvendo a Netflix e as recentes declarações do presidente do júri, Pedro Almodóvar (que criticou a Netflix), foram alguns dos temas principais. "Gosto tanto de Almodóvar que fico feliz não importa o que ele diga", disse Bong Joon Ho.

Tilda Swinton, jurada duas vezes em edições anteriores, defendeu que o presidente do júri deve ter a liberdade de dizer o que quiser. "Não viemos aqui para prêmios, mas para mostrar o filme para gente que veio do mundo todo numa sala como essa [Grand Théâtre Lumière]. E vamos ser francos. Muitos filmes lindos exibidos aqui em Cannes, nunca chegam a uma sala de cinema. Pessoalmente, acho que há espaço para todo mundo".

O diretor disse que gostou muito de trabalhar com a Netflix e teve "liberdade para fazer o filme como queria, sem qualquer pressão de se encaixar em uma ou outra categoria".

Ao falar sobre a relevância da obra e seu timing preciso, Jake Gylenhaal voltou ao assunto. "A plataforma [Netflix] é muito importante para alcançar o máximo de pessoas possível. Hoje vivemos inundados de informação, e é uma benção que qualquer expressão artística chegue a uma pessoa, imagine então a oportunidade de alcançar centenas de milhares".

Mulheres e Temática

O ator Steven Yeun, que interpreta um ativista no filme, disse que, por meio da relação simbiótica entre uma menina e um animal, o tema lida com dois dos assuntos que estão no centro das discussões hoje: mulheres e meio ambiente. "É sobre como todos nos sentimos em relação ao meio ambiente e à natureza que idolatramos", completou Tilda Swinton.

Quando perguntada sobre a coisa mais sexista que tinha ouvido ao longo de sua carreira, Tilda disse que não saberia responder. "Nós mulheres não recebemos muitas perguntas."

"É um pouco como jornalistas, para quem nunca perguntamos nada", Jake Gylenhaal disse.

O diretor falou ainda sobre suas influências, como o diretor Miyazaki, cuja interpretação do meio ambiente vai além do próprio cinema, e sua admiração pelos filmes americanos da década de 70.

*Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do HuffPost Brasil e não representa ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o HuffPost oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.

LEIA MAIS:

- Por que as personagens da escritora Elena Ferrante são mulherões da porra

- 5 motivos para assistir 'American Gods', a série que promete ser a nova 'Game of Thrones'

Looks das famosas no Festival de Cannes 2014