LGBT

'Todas e todos por um Estado laico' é o que quer a Parada do Orgulho LGBT de SP 2017

Megaevento será realizado na Avenida Paulista em 18 de junho.

17/05/2017 16:19 -03 | Atualizado 17/05/2017 17:43 -03
Nacho Doce / Reuters
Na Parada de 2016, a transexual Viviany Beleboni fez uma crítica à bancada evangélica no Congresso Nacional com fantasia que replicava uma Bíblia em que era possível ler: "bancada evangélica" e "retrocesso" estampados.

"Independente de nossas crenças, nenhuma religião é lei.

Todas e todos por um Estado laico."

O tema da 21ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, um dos maiores do mundo, foi anunciado nesta quarta-feira (17), Dia Internacional Contra a Homofobia.

O megaevento está marcado para o dia 18 de junho, novamente na Avenida Paulista.

Dois anos depois de a transexual Viviany Beleboni protagonizar um dos momentos mais comentados da Parada nos últimos tempos - quando desfilou "crucificada" - o evento volta a tocar em um assunto urgente: o fundamentalismo religioso no Brasil, que também está na base do preconceito contra LGBTs.

Em coletiva de imprensa realizada na manhã desta quarta na Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, a presidente da Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, Claudia Regina, falou sobre a escolha do tema:

"A religião é uma questão íntima. Cada religião é um caminho e ele não pode ser imposto para as pessoas. Cada caminho, cada religião, centro e templo têm suas pessoas com suas afinidade e não pode ditar regras e comportamentos a todos. Tudo o que diz respeito ao público e a toda a sociedade deve ter uma postura de laicidade e não deve contemplar religiões."

Além de Claudia, participaram da entrevista coletiva o secretário de Justiça do estado de São Paulo, Márcio Rosa, e a drag queen Tchaka Rainha - que também comentou o tema escolhido.

"Este tema é urgente. Ele precisa ser debatido, conversado e resolvido ao longo do tempo. A Parada é o maior e mais colorido evento de visibilidade LGBT do mundo. Ela é uma ferramenta de debate na sociedade."

A organização não divulgou detalhes sobre atrações e quantidade de trios elétricos que vão integrar esta edição do evento.

Uber e Skol

Durante a coletiva, Uber e Skol foram anunciados como os principais apoiadores da festa neste ano. Ambas as marcas vão promover ações junto ao público na Avenida Paulista no dia da Parada.

Da parte da empresa de transporte privado, o público poderá contar com o Trio Elétrico Uber - cujas atrações musicais estão sendo mantidas em segredo.

Além do desfile em 18 de junho, a Uber também vai participar da iniciativas organizadas ao longo do Mês do Orgulho, incluindo o Festival de Cinema LGBT, o Ato Em Memória (com o objetivo de homenagear as vítimas da LGBTfobia), e a Feira Cultural LGBT.

A agenda completa do Mês do Orgulho será divulgada no site da Parada.

Maria Fernanda de Albuquerque, diretora de marketing de Skol, antecipou uma novidade que será apresentada ao público em junho pela cerveja da Ambev. A marca, que patrocina o evento pelo segundo ano, lançará uma edição especial de sua lata 269 ml com logo colorido com as cores da bandeira LGBT.

Divulgação

Para complementar a ação de apoio à diversidade em São Paulo, parte da venda das latinhas será destinada para a Casa1, centro de cultura e acolhimento de jovens expulsos de suas por conta de sua orientação sexual ou identidade de gênero situada na centro da capital paulista.

"A Parada LGBT e a Casa1 levantam antes de tudo a bandeira do respeito e é essa a bandeira de Skol. E essa foi a melhor forma que encontramos para dividir com todos a nossa caminhada de respeito, de construção de novos valores e de experiências livre de preconceitos", disse Maria Fernanda.

LEIA MAIS:

- Casal lésbico é protagonista de comercial do Dia dos Namorados da Natura

- A cada 25 horas, 1 homossexual é assassinado no Brasil, diz pesquisa

16 Casais LGBT famosos