MUNDO

Com 65,9% dos votos, Emmanuel Macron vence eleições na França

Marine Le Pen congratula Macron e afirma que os franceses votaram pela continuidade.

07/05/2017 15:32 -03 | Atualizado 07/05/2017 17:24 -03
OLIVIER MORIN via Getty Images
Uma foto tirada neste domingo, 7 de maio, enquanto as emissoras francesas computavam os votos.

O candidato centrista Emmanuel Macron venceu neste domingo (7), o segundo turno das eleições presidenciais da França com vantagem de 30 pontos percentuais sobre sua adversária, a líder da extrema direita Marine Le Pen, segundo as primeiras projeções dos institutos de pesquisa do país após o fechamento das urnas, às 15 horas de hoje.

De acordo com as estimativas de votos válidos divulgadas pela imprensa francesa, Macron teria obtido 65% dos votos contra 35% de Le Pen, com uma participação de 75%, um dos índices mais baixos da história das eleições no país.

Os resultados de Macron, melhores do que as pesquisas tinham previsto nas duas semanas entre o primeiro e o segundo turno, oscilam entre 65,1%, segundo o Instituto Ipsos, e os 65,9% projetados pelo Instituto Elabe, segundo a emissora BFMTV.

Outras pesquisas, como a realizada pelo Instituto Sofres para a TF1 também colocam o centrista no limite de conseguir o apoio de dois terços dos eleitores franceses.

A participação, que estaria entre o 74% e o 75%, é a mais baixa registrada no segundo turno das eleições presidenciais na França desde 1969, quando Georges Pompidou foi eleito.

Le Pen

Charles Platiau / Reuters

A candidata derrotada Marie Le Pen discursou poucos minutos após o encerramento do pleito. Ela disse que ligou para felicitar o candidato vencedor e agradeceu os votos que recebeu. Considerou ainda que seu partido, a Frente Nacional, conquistou um resultado histórico nas urnas.

POOL New / Reuters

Em seu primeiro discurso após a vitória sobre a líder da extrema direita Marine Le Pen, Emmanuel Macron se comprometeu a defender a França e a Europa. Macron disse que uma nova página se abriu com seu triunfo nas eleições presidenciais e afirmou que espera que esse capítulo seja o da "esperança e o da confiança renovada". As informações são da Agência EFE.

O presidente eleito disse que a base de seu mandato será a "regeneração da vida pública". Além disso, ele garantiu que vai trabalhar para restabelecer os vínculos entre a Europa e os cidadãos franceses.

*Com informações da Agência EFE. Matéria ampliada às 15h34

LEIA MAIS:

- O ataque hacker à campanha de Macron e o rumo incerto das eleições presidenciais na França

- Políticas de Marine Le Pen em 2017: As promessas de sua plataforma presidencial

Os ataques contra meios de comunicação na França